Dilma atribui a Lula responsabilidade de tornar Erenice ministra

Em Salvador, candidata diz que apenas cumpriu orientação de promover os secretários-executivos dos ministérios

Aura Henrique, iG Bahia |

Em rápida visita a Salvador, nesta terça-feira, a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff (PT), conferiu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva a responsabilidade de promover Erenice Guerra ao posto de ministra-chefe da Casa Civil.

"O presidente estabeleceu que o critério para a sucessão dos ministros seria escolher os secretários-executivos”, disse a candidata, que tinha Erenice como braço direito desde o tempo em que era ministra de Minas e Energia, levando-a para a Casa Civil quando trocou de Pasta.

A candidata queixou-se estar sendo "vítima da leviandade dos adversários" e novamente esquivou-se das acusações de envolvimento no vazamento de dados da Receita Federal de pessoas ligadas ao candidato do PSDB à Presidência, José Serra .

Em Salvador, Dilma comprometeu-se com o governador Jaques Wagner (PT), candidato à reeleição, a não mais empenhar-se na campanha de Geddel Vieira Lima (PMDB), ex-ministro da Integração Nacional do governo Lula. “Eu apoio aqui o Jaques Wagner", declarou.

No início da campanha, a candidatura de Geddel era vista como um "palanque duplo" para Dilma na Bahia. Com seu fraco desempenho nas pesquisas e a perspectiva de Wagner se reeleger no primeiro turno, a ideia foi descartada, e o presidente Lula chegou a dizer que não se sentia comprometido com Geddel, que não pedira sua opinião na hora de resolver candidatar-se.

A petista esteve na capital baiana apenas para gravar seu programa eleitoral de TV, tendo como cenário um dos mais belos cartões postais do Brasil, o pôr-do-sol do Farol da Barra. Esta foi mais uma filmagem de uma série que pretende registrar a candidata nos pontos mais famosos do Brasil.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições dilmapleito 2010caso erenice

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG