Dilma afaga PMDB durante entrevista em Goiânia

Presidenciável do PT diz que críticas de Ciro Gomes ao PMDB estão superadas e que Michel Temer é o seu 'orgulho'

Andréia Sadi, enviada a Goiânia |

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff , disse hoje que não está escondendo o candidato a vice em sua chapa, Michel Temer (PMDB). A petista foi questionada por que Temer não aparece no seu programa eleitoral. “Não estou escondendo. Espero que ele apareça nos próximos programas”, respondeu, acrescentando que “o meu vice é o orgulho que eu tenho”.

nullDurante entrevista aos jornalistas em Goiânia, a presidenciável afagou o PMDB, depois de não ter defendido o partido durante entrevista ao Jornal Nacional da TV Globo na noite de segunda-feira. Naquela ocasião, ela foi questionada sobre as críticas feitas meses atrás por Ciro Gomes (PSB), que chegou a dizer que o PMDB seria um “ajuntamento de assaltantes”.

Dilma repetiu hoje o que disse no JN, afirmando que Ciro deu aquelas declarações em “um momento especial”, quando teve que desistir de sua candidatura à Presidência. “Ele estava emocionado. Pode-se dizer magoado, mas eu acho que não é essa a visão dele sobre o Michel Temer, de maneira alguma”, afirmou a candidata. Dilma fez questão de dizer que o momento de hoje é outro e que essa questão já está ultrapassada.

Segundo Dilma, não há nenhum problema com o PMDB na sua campanha. "O PMDB na sua grande maioria tem apoiado a minha candidatura e tem sido um partido excepcional no que se refere à sua conduta", afirmou.

Tropa de Elite

A candidata do PT também foi questionada sobre a mensagem divulgada hoje pelo cineasta José Padilha, diretor do filme “Tropa de Elite 2”. O nome de Padilha estava na lista de intelectuais e artistas que ontem fizeram um ato de apoio a Dilma, no Rio. Hoje, ele negou que estivesse apoiando a candidatura de Dilma. “Eu não sei, não pedi o apoio de ninguém. Se ele não quer assinar, perfeitamente. Tem todo o direito de não assinar”, afirmou.

A entrevista coletiva com a candidata estava prevista para acontecer no hangar de uma companhia aérea no aeroporto de Goiânia. Mas, segundo o iG apurou, Dilma pediu para transferir o evento para um local mais tranqüilo porque o referido hangar estava tomado pela militância do PT. Em seguida à entrevista, Dilma saiu para um comício na capital goiana.

Incidente

No início da coletiva, no empurra-empurra entre jornalistas, um cinegrafista deu um tapa em um reporter de uma rádio local porque ele não conseguia se posicionar para filma. Dilma se assustou com barulho e perguntou aos jornalistas: " caiu?" Diante da negativa dos repórteres, a candidata apenas parou por um momento e os assessores mandaram seguir a coletiva. O cinegrafista pertence a TV Brasil Central e o repórter da 730 AM.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições dilmapmdbciro gomesmichel temer

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG