Opinião é do juiz Marlon Reis, diretor do Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral que idealizou a campanha pela Ficha Limpa

O juiz Marlon Reis, um dos diretores do Movimento de Combate a Corrupção Eleitoral (MCCE), entidade responsável pela campanha que colheu as assinaturas para a Ficha Limpa, disse ao iG que o Supremo Tribunal Federal (STF) pode desmoralizar a Justiça Eleitoral caso considere inconstitucional a nova lei da inelegibilidades.

“Haveria um grande desgaste para o judiciário e a Justiça Eleitoral ficaria desmoralizada. Daria a impressão que o Superior Tribunal Eleitoral, que por ampla maioria entendeu que a lei é constitucional não está preparado e seria incapaz de analisar isso (a constitucionalidade)”, disse.

Marlon alegou que ao ser aprovada pelo Congresso Nacional e sancionada pelo Presidente da República, a constitucionalidade da lei foi posta a prova e passou. “É uma lei feita pelo povo, pelo próprio soberano. A Constituição existe por causa do povo, do soberano. Não é possível que o STF entenda que há elementos inconstitucionais na lei”, ponderou.

Clima

Marlon disse estar ansioso para o julgamento do primeiro caso de Ficha Limpa pelo Supremo. Segundo ele, é “como uma final de Copa do Mundo”. Apesar da tensão, se disse otimista e alegou que o tempo que a lei ficou em debate nas instâncias regionais e superiores da Justiça auxiliou na compreensão da matéria pela comunidade jurídica.

“O tempo de debate nos auxiliou. Isso vai ter reflexo no STF”, pontuou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.