Deputado faz greve de fome contra apoio a Roseana

Protesto foi reação imediata ao anúncio do Diretório Nacional do PT de anular apoio a Flávio Dino (PCdoB) e se aliar ao PMDB

AE |

Uma greve de fome no plenário da Câmara foi a reação imediata ao anúncio do Diretório Nacional do PT de anular o apoio ao deputado Flávio Dino (PCdoB) e de se aliar à governadora Roseana Sarney (PMDB) no Maranhão. O deputado Domingos Dutra (PT-MA), em vigília desde a noite passada no plenário da Casa, iniciou uma greve de fome em protesto contra a decisão da cúpula petista.

"O PT resolveu oficializar o estupro político interno. O que fizeram foi negar 30 anos de democracia interna", afirmou o deputado. Em março, o PT do Maranhão decidiu, com a presença de dirigentes nacionais, apoiar o deputado Flávio Dino na disputa pelo governo do Estado. Contrariados com a decisão, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), pai de Roseana, e o PMDB passaram a pressionar diretamente o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Dutra lembrou que, em março, o diretório estadual seguiu todas as normas partidárias na escolha do candidato. "Nós respeitamos todas as regras, mas não nos disseram que o resultado tinha de ser obrigatoriamente a favor de Sarney", protestou.

Uma eventual desfiliação do partido é assunto cogitado. Dutra disse que essa é uma questão a ser discutida pelo grupo ao qual está ligado no Maranhão. "Minha história é incompatível com a história de Sarney. Sair do partido vai depender de decisão de vários companheiros", disse Dutra, anunciando que não será candidato nas próximas eleições. "Deram o partido ao PMDB. Não posso ter o meu nome colado a bandidos", afirmou.

O deputado avaliou que os movimentos sociais, ligados ao PT no Estado e alvo de interesse de Roseana Sarney na intenção de dar uma imagem mais popular à sua candidatura, não darão apoio à governadora. "Estão roubando nosso símbolo para limpar a história de Sarney, mas os movimentos sociais não vão junto", disse Dutra.

Com 1,72 metros de altura e pesando 65 quilos, o deputado abandonou os alimentos sólidos às 14h15. Desde então, está tomando apenas água e água de coco. O deputado levou para o plenário uma extensa leitura. Entre os livros estão "A arte da Guerra", de Sun Tzu, "Princípios de Vida", de Mahatma Gandhi, "Insônia", de Graciliano Ramos, "Reencarnação e a Lei do Carma", de Willian Walker Atkinson.

"Os espíritos de Tancredo Neves e Ulisses Guimarães passaram por aqui", disse Dutra, sobre a primeira noite no plenário da Câmara. "Eles passaram para me dizer 'tenha cuidado, porque nós fomos vítimas dessa praga'", completou. Em 1985, Tancredo foi eleito presidente da República pelo colégio eleitoral, mas adoeceu e não chegou a tomar posse. Em seu lugar assumiu o vice Sarney. Ulisses Guimarães foi presidente da Câmara e do PMDB durante o governo Sarney. Morreu em um acidente de helicóptero em 1992.

    Leia tudo sobre: PMDBPTRoseana Sarney

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG