Depois de tiroteio na zona sul, candidatos destacam segurança

Cabral dedicou mais de oito minutos de programa ao tema, que também foi abordado por Gabeira; ambos prometeram ampliar as UPPs

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

Segurança e educação foram os temas mais aborados nos programas eleitorais dos candidatos ao governo do Rio de Janeiro, exibido na TV nesta segunda-feira (23). Em busca da reeleição, o governador Sérgio Cabral (PMDB) dedicou todo o seu horário gratuito para falar do combate à violência feito por sua gestão. O assunto norteou o programa do candidato dois dias depois de bandidos terem invadido um hotel na zona sul do Rio e feito hóspedes reféns. Fernando Gabeira também abordou o tema segurança, mas sem citar o espisódio.

Embora também não tenha mencionado a ação ocorrida no sábado (21) no Hotel Intercontinental, em São Conrado, na zona sul, Cabral destacou o trabalho das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), segundo ele "uma luz no fim do túnel",  e afirmou que "está preocupado que o Rio seja pacificado antes, durante e depois dos Jogos Olímpicos de 2016". A invasão ao hotel ganhou destaque na imprensa internacional, com destaque em jornais como o americano  "The New York Times", e o espanhol "El Pais".

Depois de exibir depoimentos de moradores que vivem em comunidades pacificadas com a chegada da UPP, e até mesmo de um policial que trabalha em uma destas unidades, Cabral afirmou: "Segurança é um compromisso meu com meus filhos, com minha família e com Deus. É o maior legado que eu posso deixar para esse Estado". O programa repetiu a fórmula usada mais cedo na propaganda gratuita no rádio.

Sem contar com a presença do presidente Lula nesta edição, o programa terminou embalado pela música "Juízo Final", de Nelson Cavaquinho, e com destaque para a imagem do Cristo Rendentor. Em tom emocionado, Cabral encerrou ao programa dizendo: "Paz."

Gabeira lembra caso do menino Wesley

O candidato do PV, Fernando Gabeira, também dedicou boa parte dos seus quatro minutos e meio de propaganda gratuita na TV para falar da segurança no Estado, como também ocorreu em seu programa de rádio pela manhã. Em oposição à Cabral, no entanto, o verde, criticou a atuação da polícia e lembrou de episódios como o do menino Wesley Gilbert Rodrigues de Andrade, de 11 anos, morto após ser atingido no peito por uma bala perdida dentro do Ciep Rubens Gomes, em Costa Barros, na zona norte.

Ao comentar o caso, Gabeira reclamou da polícia por ter feito uma operação contra bandidos em meio ao horário escolar. "A polícia precisa ser mais bem preparada para evitar o que a mídia chama de balas perdidas". O verde críticou ainda o que chamou de abandono de um Ciep em Irajá, também na zona norte. "No pátio desta escola existe uma cracolândia", falou. Em seguida, manchetes sobre violência estampadas por vários jornais do Rio de Janeiro receberam destaque no programa. 

A edição desta segunda-feira do programa do PV tamém não trouxe nenhum dos dois presidenciáveis que apoiam Gabeira, Marina Silva (PV) e José Serra (PSDB). O cabo eleitoral escolhido para pedir votos ao verde foi o poeta Ferreira Gullar. Ao término do programa, Gabeira voltou mais uma vez a criticar a saúde pública no Rio de Janeiro e contou com depoimentos de pessoas que não conseguem atendimento na rede. "Isso você não vê na propaganda do governo", dizia um locutor.

Educação é o mote dos demais candidatos

Fernando Peregrino (PR) defendeu emprego para os motoristas de vans, e manteve as críticas contra as ações na área de educação no Estado. Além de criticar o penúltimo lugar que as escolas do Rio alcançaram no Ideb (avaliação de qualidade do MEC), o candidato prometeu Cieps em horário integral, caso seja eleito. 

Jefferson Moura (PSOL) manteve as críticas que vem fazendo sobre o desempenho da educação pública e voltou a afirmar que um cabo eleitoral da campanha do governador Sérgio Cabral ganha mais que um professor da rede estadual. Como em programas anteriores, o candidato contou com a ex-senadora Heloísa Helena para pedir votos aos eleitores, em vez do candidato do PSOL à Presidência, Plínio Sampaio.

Eduardo Serra (PCB) destacou a questão no Petroleo no Rio, e prometeu, se eleito, aplicar os ganhos do pré-sal nas áreas sociais e em pesquisa para a produção de energias renováveis. Também afirmou que vai "lutar em defesa dos royalties no Rio" e que os recursos serão usados em ações ambientais e na área social.

Cyro Garcia (PSTU) voltou a falar sobre propostas para reestatizar serviços concedidos e dos direitos dos trabalhadores.

    Leia tudo sobre: Eleições RJCabralGabeiraPeregrino

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG