Denúncias contra Hélio Costa e a Casa Civil dominam debate na TV

Peemedebista acusa tucanos de promoverem campanha de difamação contra Dilma Rousseff e sua candidatura ao governo Minas

Eduardo Ferrari, iG Minas Gerais |

iG
Eleições presidenciais dão o tom em debate mineiro
As eleições presidenciais deram o tom no debate com candidatos ao governo de Minas Gerais na noite de quinta-feira (16), na Band Minas, em Belo Horizonte. O candidato ao governo de Minas Hélio Costa (PMDB) disse que a oposição está promovendo uma "campanha difamatória” contra a petista Dilma Rousseff, candidata à Presidência, e contra sua candidatura em Minas: “Isso sempre acontece há duas semanas das eleições. Trata-se de uma tentativa de impedir a eleição da nossa candidata no primeiro turno e de impedir a perda do governo de Minas, que é a jóia da coroa depois da Presidência”.

Costa foi envolvido no episódio das denúncias contra a ex-ministra-chefe da Casa Civil Erenice Guerra, cujo filho filho, Israel Guerra, é acusado de fazer tráfico de influência - ele teria cobrado comissão para liberar créditos no BNDES. O consultor Rubnei Quícoli, que trabalhava para a EDRB, empresa de Campinas, interior de São Paulo, disse ao Jornal Nacional que parte da “comissão” pela concessão do empréstimo seria para “pagar alguma conta da então candidata Dilma, da ex-ministra Erenice Guerra e também para ajudar o candidato Hélio Costa, de Minas Gerais”.

Antes do debate, Costa enviou nota à imprensa e chegou a haver dúvida se iria ou não comparecer ao encontro entre os candidatos devido às denúncias. "A quem interessa essa calúnia a duas semanas da eleição?", questiona a nota em nome do peemedebista. “O senador Hélio Costa repele a tentativa de um indivíduo de reputação comprometida por envolvimento com roubo de carga e receptação de dinheiro falso de envolver o nome da ex-ministra Dilma Rousseff e o dele, Hélio Costa, numa denúncia caluniosa. O senador afirma que vai processar o caluniador”, concluía o documento assinado pela assessoria de comunicação da coligação Todos Juntos por Minas.

Desde a primeira pergunta, sobre investimento em segurança pública, comum a todos os candidatos, Costa criticou a política da administração tucana - afirmando que os policiais civis mineiros estão entre os que têm a pior remuneração do país. Enquanto isso, o candidato à reeleição Antônio Anastasia (PSDB), diferentemente da postura agressiva que havia adotado durante o primeiro debate da Band, preferiu falar das próprias realizações no governo do estado.

Quando os candidatos puderam fazer perguntas entre si, Hélio Costa perguntou diretamente a Anastasia qual era o seu “candidato” e acusou o PSDB de promover uma campanha “desesperada” contra “sua turma”. “Minha turma é o Lula, é a Dilma, é o Patrus. Minha candidata é a Dilma. Lamentavelmente não conseguimos ver qual é o candidato do Anastasia”, disse.

Anastasia “agradeceu” a pergunta do candidato Hélio Costa e afirmou que “Minas Gerais tem uma tradição de soberania”. "Nós, mineiros, é que vamos com total autonomia decidir nosso voto. Meu candidato é o José Serra, mas numa eventual vitória da ‘presidenta’ Dilma não podemos sequer cogitar qualquer tipo de retaliação, e queria citar o exemplo do relacionamento de Lula e Aécio, que é tão bom que Minas foi um dos estados que mais avançou em seu índices de desempenho”, disse o tucano.

Além de Costa e Anastasia, participaram do debate Luiz Carlos (PSOL) e José Fernando (PV). Edilson Nascimento (PTdo B), que havia confirmado a presença, alegou problemas de saúde e não compareceu.

Repercussão

Após o debate, o candidato a vice na chapa de Hélio Costa, o petista Patrus Ananias, afirmou que as denúncias contra a ex-ministra Erenice Guerra, que também envolveram o peemedebista, devem ser apuradas de forma independente pelo Ministério Público e que a opinião pública, principalmente do eleitor, irá saber diferenciar o que é verdade ou não.

Anastasia disse que o debate foi uma ótima oportunidade para influenciar nos votos dos eleitores que ainda estão indecisos: "Tenho certeza de que o eleitor mineiro soube com o debate quem é quem entre os candidatos e no dia da eleição vai escolher o melhor para Minas".

Hélio Costa falou rapidamente à imprensa e se limitou a dizer que ficou "muito satisfeito" com o resultado do debate: "Nós conseguimos mostrar as nossas propostas e esclarecer aos eleitores como vamos governar Minas", afirmou.

    Leia tudo sobre: Eleições MG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG