DEM e PSDB montam segundo palanque para Serra no RS

Líderes do Democratas discutem amanhã com tucanos aliança que inclui PTB e PPS

Gabriel Costa, iG Brasília |

O presidente estadual do DEM do Rio Grande do Sul, deputado federal Onyx Lorenzoni, tem encontro pré-agendado para amanhã com Sérgio Guerra e Rodrigo Maia, líderes nacionais do PSDB e do Democratas, respectivamente, para discutir a formação de um segundo palanque, composto por DEM, PTB e PPS, para o presidenciável tucano José Serra no estado. O encontro estava marcado para hoje, mas, de acordo com Lorenzoni, Guerra só chegaria a Brasília, vindo de São Paulo, no fim da tarde, o que levou a um novo agendamento para amanhã.

“São três partidos que estarão juntos no apoio a Serra, em um segundo palanque muito mais forte e competitivo, se levarmos em conta os problemas da governadora do PSDB”, disse o deputado, referindo-se aos altos índices de rejeição de Yeda Crusius, candidata à reeleição que enfrentou séria crise política no governo do estado em 2009, após acusações de corrupção e fraude.

Os líderes regionais dos três partidos envolvidos nesse acordo participaram de um encontro na tarde de ontem. Para presidente estadual do DEM, a aliança será o trunfo em uma eleição “disputadíssima”, e poderá significar uma vantagem de até meio milhão de votos para Serra no estado.

No cenário catarinense, apesar de três pré-candidatos ao governo do estado, Eduardo Pinho Moreira (PMDB), Raimundo Colombo (DEM) e Leonel Pavan (PSDB), atual ocupante da Casa d’Agronômica, terem passado por São Paulo no fim da tarde de ontem, não aconteceu o esperado encontro dos representantes da chamada tríplice aliança, vitoriosa na reeleição de Luiz Henrique da Silveira, em 2006, com o presidenciável tucano José Serra. Havia a expectativa entre os partidos de que essa reunião pudesse significar uma decisão, afinal, a respeito de um cabeça de chapa em comum acordo para representar as três legendas.

Pavan participou de reuniões com o presidente estadual do PSDB de Santa Catarina, Beto Martins, e, depois, com Sérgio Guerra e Rodrigo Maia, onde discutiu se mantém ou não sua pré-candidatura à reeleição. O cabo de guerra continua, no entanto, uma vez que o tucano não sinaliza intenção de sair da disputa antes que um dos outros possíveis integrantes da chapa decida fazer o mesmo.

Como o encontro não aconteceu, Raimundo Colombo voltou a Florianópolis. Segundo a assessoria do senador, porém, ele já está novamente em São Paulo, e a expectativa é que nova reunião aconteça no início da noite de hoje.

Já Moreira foi a São Paulo ontem para participar de encontro marcado na semana passada com o presidente nacional do PMDB, deputado federal Michel Temer, onde teriam discutido o panorama das eleições estaduais catarinenses e a convenção nacional do partido, marcada para 12 de junho.

O governador e pré-candidato à reeleição no Paraná, Orlando Pessuti, do PMDB, também conversa com Michel Temer, hoje, e amanhã com o presidente Lula, para discutir a questão da sucessão no estado, além de assuntos administrativos. Pessuti chega a Brasília acompanhado pelo presidente regional do PMDB, deputado estadual Waldyr Pugliesi. Devem participar ainda do encontro com Lula os ministros Alexandre Padilha, de Relações Institucionais, e Paulo Bernardo, do Planejamento.

    Leia tudo sobre: Rio Grande do SulSanta CatarinaParanápalanque

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG