DEM e PMDB: mais um encontro sem acordo em SC

Colombo e Moreira participam de mesmo evento em Lages, mas não discutem futuro da tríplice aliança

Gabriel Costa, iG Brasília |

Os pré-candidatos ao governo catarinense Raimundo Colombo, do Democratas, e Eduardo Pinho Moreira, do PMDB, se encontraram hoje durante a Festa Nacional do Pinhão, evento anual que acontece no município de Lages, mas não chegaram a conversar sobre o futuro da aliança de ambos os partidos mais o PSDB no estado.

A recomposição da chamada tríplice aliança de Santa Catarina depende de um dos dois abrir mão da candidatura, uma vez que o atual governador e pré-candidato à reeleição, Leonel Pavan, já disse que estaria disposto a fazer o mesmo, em encontro dos três com o pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, na terça-feira. “O que eu gostaria mesmo é que os três estivessem juntos. Nessa história, sabemos que a indefinição não é do PSDB”, ressaltou Pavan, após o encontro.

Era esperado que Moreira e Colombo marcassem uma nova reunião para discutir o assunto, mas tudo leva a crer que a tríplice aliança não tem um futuro promissor. Além da aparente falta de empenho imediato dos dois em tratar do tema, o deputado federal e presidente nacional do PMDB Michel Temer levaria hoje ao diretório nacional do PT, de acordo com o Diário Catarinense, a proposta de Moreira para aliança no estado em apoio a Dilma Rousseff. O pré-candidato do PMDB e a presidenciável petista devem marcar para a semana que vem uma reunião em Brasília.

Na última quarta-feira, Moreira, que também é presidente estadual do PMDB, buscou apoio para sua candidatura entre deputados da bancada na Assembleia Legislativa de Santa Catarina, e na terça-feira, dia 8, vai se reunir no Hotel Castelmar, em Florianópolis, com prefeitos e vices do partido no estado para discutir a articulação dos líderes peemedebistas no processo eleitoral.

Colombo, por sua vez, é o melhor colocado nas pesquisas de intenções de voto, mantém-se em constante movimento pela região, no que chama de “agenda com a sociedade”, em busca de articulações políticas referentes ao pleito de outubro, e também não dá sinais de desistência.

A possibilidade cada vez mais forte de candidaturas separadas do DEM, PMDB e PSDB também dificulta as coisas para a pré-candidata do Partido Progressista, deputada federal Angela Amin que busca alianças para disputar o governo. A situação é análoga à do marido de Angela, o ex-governador Esperidião Amin, em 2006, quando o PP contou apenas com uma coligação de pequenos partidos - PV, PMN e PRONA - e perdeu pela segunda vez consecutiva para Luiz Henrique Silveira, do PMDB.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG