Pedro Ivo impetra ação no MPE do Tocantins acusando o Secretário de Estado Eugênio Freitas de crime de conduto

O presidente da Associação dos Delegados de Polícia do Estado do Tocantins (Adepol-TO), delegado Pedro Ivo Costa Miranda, impetrou ação no Ministério Público Eleitoral (MPE) contra o secretário de Administração do Tocantins, Eugênio Pacceli de Freitas, por suposta pratica de crime de conduto.

Ele alega que teve licença para ficar à frente da entidade revogada pelo secretário. Pedro Ivo assegurou que é vedado à agente público negar esse tipo de licença durante o período eleitoral. “A revogação, que é ilegal, aconteceu por discriminação política,” assegurou.

O delegado disse ainda que a ação contém cópias em áudio de conversas que manteve com o delegado-geral, Gilson Sousa Silva, da Polícia Civil no Tocantins, que comprovaria o constrangimento. “Na conversa, o delegado-geral deixa claro que a o fim da licença ocorreu por questões políticas,” declarou.

Pedro Ivo disse também que foi acusado “sem provas e sem qualquer indício pela prática de espionagem eleitoral.” Mas não revelou detalhes. Eugênio Pacceli de Freitas é secretário de governo de Carlos Gaguim (PMDB), que disputa reeleição com Siqueira Campos (PSDB).

Na representação, Pedro Ivo explica que deixou de participar de encontro nacional promovido pela entidade que preside por não ter como acumular a função de delegado com a de líder classista. Por isso pediu ao MPE que “tome as devidas providências.”

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.