Debate entre presidenciáveis é destaque no horário eleitoral

Programas da petista e do tucano fazem a edição dos 'melhores momentos' do debate da Record e mostram na propaganda na TV

iG São Paulo |

Como tem acontecido no dia seguinte aos debates dos presidenciáveis, a propaganda eleitoral na TV da tarde desta terça-feira teve como tônica o debate de ontem à noite promovido pela Rede Record. Os programas de Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB) editaram aquilo que consideraram os melhores momentos da participação deles no embate de ontem.

Para a campanha de Dilma, o debate deixou claro que a candidatura dela significa um avanço nas mudanças que o governo Lula promoveu. E que a candidatura Serra é sinônimo de retrocesso. Entre os pontos destacados da participação da petista no debate, está a defesa das obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento), principalmente na construção de ferrovias nas regiões Norte e Centro-Oeste do País.

Dilma também procurou distinguir as práticas do governo Lula, ao qual pertenceu, e do governo tucano paulista em relação às denúncias de corrupção. Para a presidenciável, as acusações sobre a ex-ministra Erenice Guerra estão sendo investigadas enquanto as denúncias sobre Paulo Preto, ex-diretor da Dersa, são “acobertadas”.

O pré-sal também fez parte do programa. No debate, Dilma afirmou que os recursos da exploração do petróleo farão parte de um fundo que irá financiar a erradicação da pobreza, os programas de educação, cultura e de preservação do meio ambiente. O programa de Dilma ainda mostrou a participação da candidata no debate, quando lembrou que o governo FHC gerou 5 milhões de empregos com carteira assinada e o governo Lula criou 15 milhões.

Depois da edição de cenas do debate, o programa petista buscou chamar a atenção do eleitorado feminino, apresentando ações do governo Lula em prol das mulheres e propostas de um eventual governo Dilma também para as mulheres. O horário petista foi encerrado com a divulgação dos números da pesquisa Vox Populi, em que a candidata aparece 14 pontos à frente na contagem dos votos válidos.

Serra

Entre as cenas editadas do debate sobre a participação de José Serra, o programa eleitoral tucano mostrou as propostas para a saúde, como a volta dos mutirões e as redes de policlínicas. Serra disse que, quando foi ministro da Saúde, suas ações nesse setor resultaram em geração de emprego.

O candidato tucano também criticou os juros altos no Brasil e prometeu reduzir as taxas para criar condições de um maior desenvolvimento do País. Prometeu também desmatamento zero na Amazônia e fez críticas à alta porcentagem de enxofre no diesel combustível no Brasil.

Ainda na área de energia e meio ambiente, o programa tucano disse que o governo Lula fez muita festa no lançamento do programa de biodiesel. Mas, em seguida, mostrou cenas que seriam de uma usina de biodiesel abandonada no Estado do Ceará.

Nas cenas do debate, Serra retomou o tema da segurança ao voltar a prometer a criação de uma guarda nacional para tomar conta das fronteiras brasileiras. Criticou também o PAC, dizendo ser apenas uma lista de obras, com índice de realização pequeno. E voltou a afirmar que é crítica a situação de portos e aeroportos brasileiros.

O programa ainda mostrou cenas de obras que estariam abandonadas no sistema de transposição do rio São Francisco. Segundo o programa, apenas 12% das obras teriam sido concluídas. Ainda nas cenas do debate, Serra afirma que o MST recebe dinheiro do governo federal e faz da reforma agrária um pretexto para a prática da violência.

No horário eleitoral gratuito desta noite, petistas e tucanos repetiram seus programas. A única alteração feita pelos partidos foi a inclusão do direito de resposta concedido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) a Serra no espaço petista. “Citando Paulo Preto, a campanha de Dilma mentiu dizendo que a campanha de Serra teria financiamento ilegal. É mentira”, afirmou um locutor tucano.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG