De forma velada, Meirelles rebate críticas de Serra

Em NY, presidente do BC agradeceu à Dilma Roussef pela liderança que "foi fundamental para a performance (da economia) brasileira"

Silvana Mautone, especial para o iG, de Nova York |

O presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, rebateu na noite desta quinta-feira, de forma velada, as críticas que recebeu na semana passada do pré-candidato do PSDB à presidência, José Serra. Durante discurso em um evento em Nova York, no qual recebeu o título "Personalidade do Ano", Meirelles afirmou que a homenagem é um reconhecimento ao desempenho do BC, que enfrentou grandes desafios durante a crise mundial. "O Banco Central brasileiro é hoje uma instituição respeitada no mundo", disse.

Meirelles fez um agradecimento especial ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva por ter "dado ao BC a autonomia necessária para que pudesse atuar com eficiência e apoiado a instituição em todos os momentos difíceis". Ele agradeceu ainda à ex-ministra e hoje pré-candidata do governo à Presidência, Dilma Roussef, que também estava no evento. Segundo ele, a liderança de Dilma "foi fundamental para a performance (da economia) brasileira".

O evento em Nova York, promovido pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (BrazilCham), ganhou um forte tom político após Serra ter dito no último dia 10 que o BC errou ao não ter diminuído mais a taxa de juros no passado, quando o cenário econômico internacional estava mais favorável. Serra disse ainda que, se eleito presidente, manifestará claramente sua posição caso discorde das decisões do Banco Central, deixando o mercado em dúvida se de fato ele respeitará a atual independência do órgão. No mesmo dia, Dilma defendeu a atuação de Meirelles.

O jantar nos Estados Unidos foi o primeiro evento de Dilma ao lado do candidato a vice na sua chapa, o presidente da Câmara Michel Temer (PMDB). Lula queria que Meirelles fosse o vice de Dilma, mas, devido a acordo com o PMDB, teve de mudar de idéia. Na última terça-feira, Temer foi indicado pela executiva do seu partido como pré-candidato à vice-presidente em aliança com o PT. Sua indicação deve ser confirmada no próximo dia 12 de junho, na convenção nacional do PMDB. 

Em carta enviada especialmente para o evento em Nova York, Lula elogiou o desempenho de Meirelles à frente do BC. Na mensagem, lida pelo embaixador brasileiro nos Estados Unidos, Mauro Vieira, Lula disse que Meirelles está sendo reconhecido por “sua competência na condução da política monetária do Brasil, um dos países que melhor reagiram à crise econômica mundial”. 

Diante de uma platéia repleta de empresários brasileiros e americanos, Meirelles disse que o Brasil é um dos países que mais crescem hoje no mundo e, em uma referência indireta à China, destacou que possui a vantagem de "ser uma democracia, ter uma imprensa livre e um judiciário independente". Ele afirmou que o crescimento econômico é sustentado e que o país vive "uma estabilidade sem precedentes". 

Entre os políticos brasileiros que participaram do evento estavam o presidente do Senado, José Sarney (PMDB), o deputado federal Antonio Palocci (PT) e a ex-prefeita de São Paulo Marta Suplicy.

    Leia tudo sobre: DilmaNYBCMeirelles

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG