Costa quer fortalecer presença petista na Grande BH

Além de Ananias e Pimentel, ex-prefeitos da capital, candidato quer a presença de Lula para barrar crescimento tucano na região

Eduardo Ferrari, iG Minas Gerais |

Para tentar barrar o crescimento nas pesquisas de intenção de votos do governador e candidato à reeleição Antônio Anastasia (PSDB), o ex-ministro Hélio Costa (PMDB) deve reforçar sua presença na região metropolitana de Belo Horizonte. Embora o peemedebista ainda seja o líder nas pesquisas de intenção de votos, desde que o Horário Eleitoral Gratuito começou viu a diferença cair pela metade em relação ao tucano – na pesquisa Vox/Band/iG, divulgada em 13 de agosto, ficou em dez pontos, e na pesquisa Ibope, divulgada em 23 de agosto, em 11. Nas pesquisas realizadas por esses mesmos institutos, ainda no mês de julho, as diferenças ou superavam ou ficavam próximas a 20 pontos percentuais.

Um dos principais motivos apontados para o crescimento de Anastasia é justamente o fato de o candidato ser mais conhecido na Grande BH, onde supera Costa nas intenções de votos – dos 14,5 milhões de eleitores de Minas Gerais, a região tem cerca de três milhões, 20% de população com direito a voto no estado. Assim, Costa terá ao seu lado durante os eventos na região os petistas Patrus Ananias, candidato a vice na chapa, e Fernando Pimentel, candidato ao Senado, ambos ex-prefeitos da capital mineira, bastante conhecidos na região e com avaliações positivas de seu governos pela população.

Lula deve ir a Governador Valadares ou Juiz de Fora

Além disso, Hélio Costa quer ainda uma presença ainda maior do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na campanha, além da participação no programa de televisão. Por enquanto, estaria acertada apenas mais uma visita do petista a Minas, em Governador Valadares ou Juiz de Fora. No início da semana, os ex-ministros Costa e Ananias teriam ido até o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, pedir mais espaço na agenda do presidente. Eles também estariam preocupados com a arrecadação da campanha – até agora foram R$ 4,2 milhões do total previsto de R$ 35 milhões.

A estratégia da coligação de Hélio Costa até então foi de separar as agendas dos candidatos para garantir a presença no maior número possível de municípios. A partir da segunda semana de setembro, isso deve se repetir com Hélio Costa na Zona da Mata e Sul, Patrus no Norte, Mucuri e Jequitinhonha e Pimentel em Belo Horizonte, Região Metropolitana e Central.

    Leia tudo sobre: Eleições MG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG