Corregedor: Justiça foi preconceituosa contra Tiririca

Corregedoria tem 120 dias para analisar reclamação sobre promotor que supostamente agiu de forma "exagerada e preconceituosa"

Agência Estado |

selo

O corregedor nacional do Conselho Nacional do Ministério Público, Sandro Neis, pediu à Corregedoria do Ministério Público de São Paulo que examine, no prazo de 120 dias, a reclamação do conselheiro Bruno Dantas contra o promotor de Justiça da 1ª Zona Eleitoral de São Paulo, Maurício Ribeiro Lopes. Dantas afirma que o promotor se manifestou de forma "exagerada e preconceituosa" contra o já eleito deputado federal Francisco Everardo Oliveira Silva, o Tiririca.

O conselheiro esclarece que o alvo do seu procedimento é o "método" utilizado pelo promotor e não o processo que pode levar Tiririca a perder o mandato. Segundo ele, é importante que o Ministério Público adote providências em relação à denúncia de que Tiririca falsificou a declaração de candidato.

    Leia tudo sobre: eleições sptiririca

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG