Coordenação de Wagner contesta ataques da oposição

Petista afirma que dados divulgados em campanha foram embasados na PNAD e que é preciso mostrar o impacto na vida das pessoas

Aura Henrique, iG Bahia |

A coordenação da campanha do governador Jaques Wagner (PT), candidato à reeleição na Bahia, contestou, nesta terça-feira (14), a leitura da oposição de dados divulgados pelo IBGE, na semana passada. Tais dados desmentiriam os números dos dois principais programas do governo petista, o TOPA, Todos pela Alfabetização, e o Água para Todos, tendo sido ostensivamente usados pela oposição.

Jaques vem divulgando em seus programas eleitorais a alfabetização de 500 mil pessoas e o acesso de 2,5 milhões de pessoas à água de 2007 a 2009. A Pesquisa Nacional de Amostra Domiciliar (PNAD) registrou números menos expressivos, 86 mil alfabetizados e 700 mil novos domicílios com abastecimento hídrico no mesmo período.

Após o fato, o programa eleitoral petista fez uso mais contumaz de depoimentos de pessoas que teriam sido beneficiadas por ações governamentais, uma estratégia já utilizada pela propaganda institucional do governo. Ernesto Marques, coordenador de campanha, acredita que “mais importante que apresentar números, é mostrar o impacto real desses programas na vida das pessoas".

Marques informou também que não há qualquer contradição entre a pesquisa promovida pelo IBGE e os dados governamentais. Para ele, a pesquisa desconsiderou o “grande contingente de alunos em curso”, uma vez que “a equipe da pesquisa esteve em campo até setembro de 2009”. O coordenador confirmou ainda que, entre alunos registrados e novos, mais de 400 mil pessoas teriam sido alfabetizadas no ano subsequente, mas que este número “vai aparecer na próxima pesquisa”.

Em nota, a coordenação da campanha disse ainda que, no período da pesquisa, o TOPA teria alfabetizado 171 mil baianos, mas que apenas uma parte desse universo pode ser retratada. “Esta pesquisa, por ser de caráter amostral, realizada em 76 municípios da Bahia, não apresenta aderência para o monitoramento e a avaliação de políticas públicas em áreas específicas”, explica Geraldo Reis, diretor geral da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI).

Ernesto Marque aproveitou para retrucar as acusações do segundo colocado nas pesquisas, Paulo Souto (DEM), candidato que mais subiu o tom contra Wagner após a divulgação dos dados do IBGE. “Após quatro governos no poder, oito como governador, Paulo Souto entregou a Bahia com o maior número absoluto de analfabetos, 2,1 milhões de pessoas, 20% da população economicamente ativa”, disse. “A clientela idosa do TOPA é o retrato mais fiel do que foi a educação da Bahia ao logo de décadas”, concluiu.

    Leia tudo sobre: eleições bajaques wagner

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG