Comitiva do PMDB-SC vai a Brasília para discutir intervenção

Moreira busca entendimento com executiva nacional, enquanto bancadas do partido negociam com DEM e PSDB

Gabriel Costa, iG Brasília |

A executiva estadual do PMDB de Santa Catarina manifestou-se de forma unânime contra o processo de intervenção iniciado pela direção nacional em reação à retirada da pré-candidatura de Eduardo Pinho Moreira, presidente estadual da legenda. Em reunião nesta segunda-feira, o partido estabeleceu que suas bancadas estadual e federal vão negociar com suas equivalentes do Democratas e PSDB para discutir a articulação visando às eleições de outubro.

“Até quarta-feira os partidos da tríplice aliança devem reunir-se e chegar a um consenso sobre os critérios de participação de cada um”, afirmou Moreira, em referência à coligação dos três partidos que reelegeu Luiz Henrique da Silveira em 2006.  O presidente estadual do PMDB disse ainda que, entre os partidos aliados, o PSC, o PTB e o PPS não manifestaram interesse em compor as chapas proporcionais, enquanto o DEM já se manifestou favorável e o PSDB ainda não apresentou uma definição oficial.

A executiva estadual do PSDB catarinense tambem teve reunião nesta segunda-feira, em Florianópolis, onde esperava definir a candidatura ou não do atual governador do estado, Leonel Pavan, à reeleição. Pavan, no entanto, não pôde comparecer e a reunião, que durou aproximadamente quatro horas, foi suspensa até a quarta-feira. De acordo com o presidente em exercício do PSDB, Beto Martins, até lá o diretório estadual "acompanha as definições do PMDB e mantém o diálogo com o DEM na busca de uma proposta mais consolidada e definitiva."

Pavan se comprometeu no início do mês, após encontro dos três com o candidato tucano à Presidência, José Serra, que abriria mão de sua candidatura à reeleição em prol da chamda tríplice aliança de Democratas, tucanos e peemedebistas apenas se um dos outros dois fizesse o mesmo.

Moreira discute intervenção em Brasília
Amanhã, terça-feira, 22, uma comitiva que inclui Moreira e Silveira, além dos também ex-governadores Casildo Maldaner e Paulo Afonso Vieira e da bancada federal peemedebista viaja para Brasília para discutir o processo de intervenção. De acordo com o presidente estadual do partido, não existe nenhum documento referente ao processo à disposição, e a intervenção não teria fundamentos, uma vez que a decisão presidencial já foi definida durante a convenção nacional do PMDB.

De acordo com Moreira, além de não existir nenhum documento referente ao processo à disposição, a intervenção não tem fundamentos, uma vez que a decisão presidencial já foi definida durante a convenção nacional do PMDB.

Candidaturas
O deputado estadual Edison Andrino registrou seu para disputar candidatura ao governo do estado na convenção do PMDB que acontece no próximo sábado, dia 26 no Ginásio do Sesc da Prainha, em Florianópolis, enquanto o ex-governador Paulo Afonso Vieira registrou candidatura ao Senado.

A executiva estabeleceu as 9 da manhã de quinta-feira, dia 2, como prazo limite para inscrição de candidaturas para as chapas proporcionais e majoritárias. Os membros do diretório estadual do PMDB estarão reunidos até quinta-feira no diretório estadual, finalizando os processos relativos à convenção estadual. Segundo o secretário Geral do PMDB, deputado estadual Renato Hinnig, o partido quer compor com um número de candidatos equivalente ao de partidos que desejem a aliança proporcional.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG