Com urnas apuradas, Temer é aclamado vice de Dilma

A convenção nacional do PMDB confirmou as expectativas e homologou na tarde deste sábado a aliança com o PT

Andréia Sadi e Ricardo Galhardo, iG Brasília |

A convenção nacional do PMDB confirmou as expectativas e homologou na tarde deste sábado a aliança com o PT, indicando o deputado Michel Temer (SP) para ocupar o posto de vice na chapa encabeçada pela ex-ministra Dilma Rousseff (PT).

Temer venceu com 560 votos a disputa nas urnas da convenção com o ex-governador do Paraná Roberto Requião e com Antonio Pedreira, que foi candidato na eleição de 1989 pelo extinto PPB. Requião e Pedreira apresentaram-se como pré-candidatos ao Palácio do Planalto, mas obtiveram apenas 95 votos e 4 votos, respectivamente.

Após o resultado, Temer recebeu Dilma, o presidente do PT, José Eduardo Dutra e Marta Suplicy. A petista já havia participado pela manhã de outra convenção, a do PDT, em São Paulo, onde investiu em um discurso para exaltar o getulismo.

Temer agradeceu ao partido pela votação e usou seu discurso para ressaltar a “competência estupenda” da ex-ministra quando na Casa Civil e do governo Lula. “Eu assumo a condição de vice-presidente porque sei que terei oportunidade de participar de um dos mais brilhantes governos que também se instalará a partir do ano que vem”, disse.

O presidente do Senado, José Sarney, também discursou e fez elogios ao vice de Dilma. “Foi o presidente Temer o grande artífice da unidade do PMDB. Foi ele que, como seu temperamento e espírito público, possibilitou ao partido que chegasse a essa convenção. O PMDB está na consciência e no imaginário do povo brasileiro.

A votação põe fim à polêmica iniciada na última semana por Requião, que prometia tumultuar a convenção nacional do partido com a apresentação de sua pré-candidatura à Presidência.

O ex-governador chegou a roubar a cena na manhã de hoje, ao transformar a cerimônia de abertura da convenção em palco para um discurso em defesa da candidatura própria. Aproveitando que Temer ainda não havia chegado ao evento, Requião aproveitou o microfone: "Não vim para protestar, vim para fazer falar a voz do povo", discursou, dizendo estar "velho demais para desistir".

Temer, que chegou pouco depois, preferiu pedir votos. “Eu preciso do voto sim e preciso do voto robusto, significativo do voto que venha demonstrar mais uma vez aquilo que acontece na prática que é unidade absoluta. Quem duvida olha para esta mesa”, disse, sob aplausos, ao lado do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles e das principais lideranças do PMDB.

    Leia tudo sobre: temerdilmapmdbrequiãoantonio pereira

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG