Com outdoor proibido, Pernambuco tem `surto¿ de muros pintados

Candidatos usam e abusam da única forma de fazer propaganda autorizada pela Justiça Eleitoral

Ana Carolina Dias, iG Pernambuco |

“Não deixo colocar mais nada em meu muro. De que adianta pintar a fachada da casa, se após a eleição o político não compra uma lata de tinta para cobrir sua propaganda?”, diz a dona de casa Nadja Maria Brito ao mostrar, indignada, as paredes pintadas com números e siglas de partidos. “Deixei pintar o muro da minha casa e até hoje espero a lata de tinta para que ele volte ao que era. Depois dessa experiência, nunca mais deixo que façam uma coisa dessas”. Dona Nadja mora no bairro da Macaxeira, no Recife. O muro da sua casa tem mais de 10 metros de extensão e é referência na região por ser uma via de importante circulação. “A parede foi toda pichada com os números e siglas de um candidato do PMDB.

Ele ainda mentiu dizendo que seria apenas um número. Quando vi, estava toda ‘apapagaiada’”, reclama.
Em algumas comunidades a disputa é grande pelos muros. “Não coloquei nenhum número de candidato em minha casa por ser um estabelecimento comercial. Aqui onde moro, existem duas pessoas disputando candidaturas, cada um quer dominar mais a rua. Não quero fazer parte dessa briga”, disse o vendedor Jair dos Santos, proprietário de uma barraca de bebidas no bairro de Santo Amaro, no Recife.

Já em outras comunidades os candidatos pintam os muros sem ao menos pedirem autorização. “Dormi com meu muro branco, quando acordei estava pintado”, comenta a auxiliar de serviços gerais, Josicleide Souza. “Não pediram permissão. Estou chateada, mas agora não adianta mais nada. Espero que eles tenham bom senso e pintem novamente quando essa eleição acabar”, desabafa.

Algumas pessoas acreditam que por se tratar de campanha eleitoral, os candidatos precisam aproveitar da melhor forma possível os espaços autorizados e disponíveis por lei. “Não vejo problema algum em colocar nomes e números no muro da minha casa. Acredito até que serve como referência para as pessoas. Todavia, só faço da minha parede um outdoor se eu estiver apoiando o candidato”, afirma o estudante de contabilidade Sérgio Anjos, que sempre pinta o muro da sua casa com o nome e as siglas do candidato que apoia. Ele acredita que com isso consegue mais votos e parcerias para ele. Para a analista de sistemas, Andréa Celeste, de nada adiantam os muros pintados. “Acho uma poluição visual. Não voto em candidatos pela quantidade de muros que tem seu nome e sim pelas propostas”.

Como o outdoor está proibido, o que resta são os muros pintados. Nessa época de eleição, um aglomerado de letras pintadas e mal desenhadas aparece pela cidade. Segundo o TRE a regra é simples: são quatro metros quadrados de pintura. Apenas resta saber se são quatro metros quadrados de cada membro do partido. Desta forma, o que falar da dona Nadja Maria, com seus mais de 10 metros de muro pintado?

    Leia tudo sobre: PernambucoTREcandidatosmurospropaganda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG