Com base em 2006, Mercadante diz confiar em 2º turno

Há quatro anos, "o Datafolha dizia que eu tinha 22% e o Ibope 23%, e eu tive 32% dos votos válidos", disse o petista

Agência Estado |

selo

O candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, disse nesta quarta-feira ao desembarcar em Bauru, no interior do Estado, que acredita na sua passagem para o segundo turno porque atualmente tem melhor posição que nas eleições passadas. "Em 2006 o Datafolha dizia que eu tinha 22% e o Ibope 23%, e eu tive 32% dos votos válidos."

Hoje, com mais os outros candidatos, eu já estou acima dos níveis daquela época. Tanto eu estou absolutamente seguro e ele (o Alckmin) também que ele não faz outra coisa a não ser me atacar no programa gratuito, porque no debate ele não mantém a mesma coerência nem a mesma coragem."

"Vamos mostrar, a partir de agora, que muitas propostas do Alckmin são iguais a franco de padaria (roda, roda e não sai do lugar). Tem promessas que ele já fez dez vezes e continua apresentando para a população, como se o povo não tivesse memória", disse o petista, sem especificar quais seriam essas promessas. Na sua opinião, "quanto mais perto chegar da eleição, mais se vai comparar o governo do PSDB com os do PT e, se a crise internacional para o Brasil foi uma marolinha, a nossa vitória no Brasil será um tsunami."

Para o candidato, os acontecimentos envolvendo a demissão da ex-ministra Erenice Guerra da Casa Civil e todo o esquema que havia em torno dela não influenciarão na campanha. "As pesquisas já saíram depois da crise, nós continuamos crescendo e eles continuam caindo. A campanha do Serra (José Serra, candidato à Presidência pelo PSDB) é hoje uma campanha desesperada, que não tem o que apresentar ao Brasil para motivar os eleitores", disse.

"Eles não têm argumentos e tentam ofuscar o que é o centro da disputa. São duas experiências de governos, FHC (Fernando Henrique Cardoso)-PSDB e Lula-PT, que estão disputando ou a continuidade do governo Lula ou a volta do governo do PSDB, e o povo já fez a escolha. Quanto mais a gente apresenta os nossos argumentos, mais crescemos", completou.

Mercadante esteve acompanhado do senador Eduardo Suplicy, com quem caminhou no final da tarde pelas sete quadras do calçadão de Bauru. O trajeto foi encerrado na frente da estação ferroviária. Os candidatos ao Senado Marta Suplicy (PT) e Netinho de Paula (PCdoB) não compareceram porque tiveram de viajar de Marilia para Brasília, onde foram gravar programas eleitorais junto com o presidente Lula.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG