Clima de violência ganha a campanha presidencial

Enquanto Serra e Dilma viram alvo de objetos lançados em compromissos públicos, tucanos e petistas sobem o tom das críticas

iG São Paulo |

A dez dias do segundo turno da eleição, o clima de violência passou a predominar na campanha para o Palácio do Planalto. Após o presidenciável tucano José Serra ter sido atingido na cabeça por um objeto na tarde de terça-feira, hoje foi a vez de a petista Dilma Rousseff enfrentar tumulto ao realizar uma caminhada no Paraná, na qual foi alvo de balões de água que acabaram atingindo militantes que a acompanhavam.

Os dois episódios contribuíram para elevar o tom das críticas trocadas entre petistas e tucanos na reta final da disputa. Após uma reportagem do SBT indicar que uma bolinha de papel teria sido lançada na cabeça de Serra, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou em campo para acusar o tucano de simular a agressão, dizendo se tratar de uma "farsa". Serra, por sua vez, culpou o presidente pelo "clima de violência" da campanha.

As imagens do SBT mostram Serra sob o sol, com as mãos ao alto, na companhia do vice na chapa presidencial tucana, deputado Indio da Costa (DEM-RJ). Nesse momento, o tucano é atingido por um objeto leve, que se assemelha a uma bolinha de papel. Ele olha para baixo, mas não demonstra nenhum sinal de incômodo.

No entanto, outro vídeo do evento ocorrido no Rio, divulgado pela Folha.com na internet, mostra o presidenciável tucano na sombra, sob uma árvore, em meio ao empurra-empurra. As imagens, nesse caso, foram feitas por meio de um celular e possuem qualidade bem inferior. Ainda assim, o vídeo sugere que outro objeto atinge a cabeça do candidato do PSDB ao Palácio do Planalto.

Reprodução
Imagens indicam dois momentos distintos em que Serra pode ter sido atingido por objetos

As imagens veiculadas pelo SBT serviram para que Lula comparasse Serra a Roberto Rojas, ex-goleiro chileno. A declaração foi uma referência a um episódio ocorrido em 3 de setembro de 1989, durante uma partida entre Chile e Brasil no Maracanã, quando o chileno simulou ter sido atingido por um sinalizador e se jogou no chão sangrando. Rojas, na verdade, havia cortado o próprio rosto com uma lâmina de barbear que escondia na luva. Mais tarde, foi banido do futebol pela FIFA devido ao incidente. As comparações entre Serra e o ex-jogador também ganharam a rede de microblog Twitter. Hoje, a hashtag #serrarojas chegou a ser o tópico mais comentado no serviço em todo o mundo.

null

"A mentira que foi produzida ontem pela equipe de publicidade do candidato José Serra é uma coisa vergonhosa", afirmou Lula. "É uma mentira mais grave do que a mentira daquele goleiro Rojas, aquele goleiro do Chile que, no Maracanã, caiu e fingiu que um foguete tinha machucado ele", emendou.

null Serra, que na visita de ontem ao Rio  já havia culpado o PT pelo tumulto, incluiu o episódio em em seu programa no horário eleitoral. Além disso, ele aproveitou um compromisso de campanha em Maringá para jogar sobre Lula a responsabilidade pelo "clima de violência" da campanha. “Infelizmente, a atitude do presidente da República de se jogar de corpo e alma no processo eleitoral, ao invés de governar o País, e ao mesmo tempo incitar a destruir adversários como ele tem feito, só contribui para esse clima de violência".

Embora tenha demorado um pouco mais para entrar na troca de ataques, Dilma aproveitou visita a Porto Alegre na parte da tarde para provocar o adversário. Ao ser questionada sobre os balões lançados contra ela, alfinetou: "Eu não sou Rojas para fazer firulas".

Entre aliados de Serra, por outro lado, Dilma também foi alvo de comentários. No time do tucano, circulava a versão de que o próprio PT teria lançado hoje balões de água contra a candidata ao Planalto, para criar um factóide. “Água lançada perto do carro da Dilma foi pelo PT. Tudo combinado!”, provocou Cesar Maia (DEM), ex-prefeito do Rio de Janeiro (RJ), em seu Twitter.

Na tarde desta quinta-feira, pouco após Dilma e Serra comentarem publicamente os episódios, a campanha tucana elevou mais o tom em nota distribuída à imprensa. “É com indignação que denunciamos o baixo nível da campanha eleitoral promovida pelo PT no País. Mais uma vez, a candidata Dilma Rousseff comprova que não tem apreço e respeito pelos eleitores do Estado de São Paulo ao publicar em seu blog oficial uma declaração infame que desqualifica e agride todos os cidadãos brasileiros", afirmou o PSDB, no documento.

    Leia tudo sobre: eleições serraeleições dilmapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG