Claques dos candidatos trocam ironias na plateia

Tucanos e petistas disputam quem ganhou o primeiro bloco e defendem seus candidatos, criticados pelos adversários

Ricardo Gualhardo, iG São Paulo |

O publicitário Luiz Gonzalez, responsável pelo marketing da campanha de José Serra (PSDB), monitorou o resultado dos grupos de acompanhamento por meio de um iPad. Assim que terminou o primeiro bloco ele sacou o aparelho e checou o resultado da pesquisa, segundo a qual Serra foi o vencedor com 36%, contra 26% de Dilma Rousseff (PT), 21% de Marina Silva (PV) e 10% de Plínio de Arruda Sampaio (PSOL). Gonzalez nem tentou esconder a tela do computador.

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, ironizou o resultado. “A é? Na nossa pesquisa deu 45% para a Dilma”, disse ele brincando. “Não dá para falar em porcentagem em pesquisa qualitativa”.

Enquanto isso, os correligionários de Dilma e Serra tentavam defender seus candidatos.

“Enfim o Serra mostrou a verdadeira cara. É contra o Lula e escondeu o Fernando Henrique”, disse Rui Falcão, da coordenação da campanha do PT.

Do outro lado, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, partiu para o escárnio. “Ela é gaga nas ideias, palavras e pensamento. A gagueira na fala ainda é fácil de curar. O pior é o resto”, disse Guerra.

Alguns tucanos chamavam Dilma de “Lady Gaga”.

O único candidato a provocar reação da plateia no primeiro bloco do debate da TV Bandeirantes foi Plínio de Arruda Sampaio.

“Aqui tem muita convergência. Agora vocês vão ver a divergência”, disse Plínio, arrancando gargalhadas de todos.

Na maior parte do tempo as claques dos principais candidatos permaneceu quieta, aparentando tensão.

No auditório lotado, alguns convidados VIP, como o cineasta Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”), tiveram que sentar no chão. Convidado por Marina, Fernando previa um desempenho melhor de Serra. “Ele tem mais tarimba. A Marina e a Dilma extrapolam o tempo das respostas”, disse ele.

Quando Dilma respondeu à pergunta de Plínio olhando para o adversário, que está à sua esquerda, sua equipe formada por Antonio Palocci, José Eduardo Dutra e o marketeiro João Santana, entrou em pânico. Não havia câmara lateral e a imagem mostrava a nuca da candidata. O diretor de jornalismo da Band, Fernando Mitre, percebeu o mal estar e tentou consertar o problema, não conseguiu e pediu desculpas a Palocci.


    Leia tudo sobre: Eleições DilmaEleições Serradebate

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG