O deputado se comprometeu a fazer campanha para eleger Dilma Rousseff

O deputado federal Ciro Gomes (PSB) disse hoje em Fortaleza que já aceita o fato de não ter entrado na disputa presidencial deste ano. Falando para mais de duas mil pessoas na convenção que indicou seu irmão Cid Gomes (PSB) como candidato à reeleição a governador do Ceará, Ciro estar recuperado do veto à sua candidatura. "Passei três dias lambendo as feridas, mas entendi que o que decidiram é o melhor para o País”. E continuou: “não sou dono da verdade e quem pensa assim fica falando sozinho”.

Ciro se comprometeu a fazer campanha para eleger Dilma Rousseff (PT) sucessora do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No entanto, no seu discurso, só citou o nome da petista uma vez. Ele pediu votos para Dilma, para Cid, para os deputados federais e para Eunicio Oliveira (PMDB) e José Pimentel (PT) candidatos ao Senado.

O deputado chamou a coligação do irmão de generosa e disse que apenas o irmão seria capaz de contruí-la. A coligação reúne 16 partidos, entre eles PSB, PMDB, PDT e PT.

Mas Ciro já cria um desconforto no palanque de Cid. A presidenta do PT Ceará, a prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins faltou à convenção exatamente porque o deputado, seu desafeto político, estava lá.

Depois de sua fala, Ciro não quis conversar com a imprensa. Deu seguidos não e saiu correndo do palanque.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.