Coligação da petista queria tomar tempo de José Serra para responder acusações sobre quebra de sigilo fiscal de tucanos

Os ministros do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) negaram direito de resposta à campanha de Dilma Rousseff (PT), que queria cinco minutos na propaganda eleitoral de José Serra (PSDB) para rebater informações sobre a quebra e o vazamento do sigilo fiscal de tucanos.

A maioria dos ministros também autorizou a coligação de Serra a repetir trechos ou a íntegra do programa veiculado na noite do dia dois, quando diversas matérias de jornais foram apresentadas sobre a quebra do sigilo fiscal do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, e da filha de José Serra, Verônica.

De acordo com o presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, informações sobre a quebra de sigilo foram apresentadas, mas uma suposta imputação dos crimes à candidata Dilma não prosperou na propaganda.

O direito de resposta pedido pelo PT havia sido negado no último quatro em decisão monocrática (de um único juiz) pelo ministro Joelson Dias. Hoje a negativa foi reiterada pelo plenário do TSE.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.