Casagrande gastou quase o dobro de Luiz Paulo em campanha

Governador eleito recebeu 9,4 milhões em doações, sendo 18% de empresas de importação e exportação

Manuela Andreoni, iG Rio de Janeiro |

O governador eleito no Espírito Santo, Renato Casagrande (PSB), gastou R$ 9.458.810 neste pleito, de acordo com os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O maior doador de sua campanha foi seu próprio partido, que contribuiu com R$2 milhões. Luiz Paulo Vellozo Lucas (PSDB), candidato derrotado ao governo do Estado, recebeu em doações pouco mais que a metade de Casagrande: R$ 5.400.860.

As empresas de exportação/importação se destacam na lista de doações. Elas contribuíram, no total, com R$ 1,7 milhão, encabeçadas pela Cisa Trading, que doou R$ 1 milhão. As doações das companhias que trabalham com extração de celulose também chamam atenção, chegando a R$ 720 mil. Elas são lideradas pela Fibria Celuloses, ex-Aracruz Celulose, que tem 210 mil hectares de eucalipto para extração de celulose no Estado. As madeireiras e indústrias de móveis também estão entre as doadoras da campanha de Casagrande – elas contribuíram com R$ 268.500.

As siderúrgicas e mineradoras também estão presentes na lista do TSE para o governador eleito capixaba. Ela doaram, no total, R$ 798.200 e são encabeçadas pela Arcelor Mittal, que contribuiu com R$ 500 mil. Apenas um banco doou a Casagrande, o Itaú Unibanco, R$ 150 mil.

Luiz Paulo Vellozo Lucas também teve seu próprio partido como maior contribuidor da campanha, com R$ 2.430.000 – mais do que o governador eleito recebeu da sigla a que pertence. Em segundo lugar, está a construtora Camargo Corrêa, com R$ 1,3 milhão. A deputada federal, Rita Camata (PSDB), que saiu derrotada nas urnas na corrida ao Senado, doou R$ 200 mil para a campanha do aliado.

A campanha da candidata do PSOL, brice Bragatto, que ficou em terceiro lugar com 2% dos votos, obteve apenas R$ 90.917. Praticamente todas as doações foram feitas por pessoas físicas. À exceção de cinco empresas, que doaram entre R$ 1 mil e R$ 1,8 mil, e o diretório de seu partido.

    Leia tudo sobre: eleições esdoaçãocampanhacasagrande

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG