Capiberibe anuncia transição no Amapá

Governador eleito divulgará nomes da equipe dia 15; famílias quilombolas têm acesso ao Bolsa Família

Menezes y Morais, iG Brasília |

O Governador eleito do Amapá, Camilo Capiberibe (PSB-AP), vai anunciar os nomes de sua equipe de transição durante entrevista coletiva na próxima segunda-feira (15), em Macapá. Capiberibe está em Brasília desde o último final de semana, onde se reuniu com a comissão executiva nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB).

O retorno do governador eleito ao Amapá será dia 14. Capiberibe é um dos seis governadores eleitos pelo PSB nas eleições deste ano. Na reunião em Brasília, mostrou suas propostas que serão encaminhadas dentro do plano nacional à presidente eleita Dilma Housseff (PT). Durante a campanha eleitoral, Capiberibe defendeu Dilma como “o melhor caminho para tirar o Amapá do atual quadro em que se encontra.”

À executiva nacional do PSB, o governador eleito pediu atenção especial no sentido de evidenciar esforços para conseguir recursos e investimentos em curto prazo para o Amapá.  Capiberibe foi eleito com mais de 170 mil votos, aos 38 anos, Capiberibe é considerado o governador mais jovem do país.

Quilombolas

Núbia de Souza, responsável pelo setor de registro fundiário das áreas quilombolas da Secretaria Extraordinária de Políticas para os Afrodescendes (Seafro) e Coordenadora Geral da Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas do Amapá (Conaq/AP), informou que a comunidade foi contemplada com o programa Fome Zero.

Neste sentido, mais de 425 comunidades Quilombolas do Amapá serão beneficiados com Cestas de Alimentos do Programa "Fome Zero," do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome. São 496 cestas básicas com diferentes tipos de alimentos não perecíveis. As comunidades contempladas serão informadas oficialmente.

Inclusão social

Para Núbia, o objetivo do programa “é combater a fome e garantir a inclusão social de milhões de brasileiros. A entrega dos alimentos está prevista para a próxima semana. A regularização das áreas quilombolas é de suma importância para que as comunidades. Somente assim elas poderão ter acesso ao programas sociais dos governos Federal e Estadual."

Núbia espera "em breve que outras famílias tenham acesso ao beneficio." Em 2009 foi realizada uma pesquisa sobre a situação socioeconômica das comunidades quilombolas do Amapá e encaminhada ao MDS. No inicio de 2010 o documento foi aprovado. A pesquisa é realizada por técnicos do Conq / AP em parceria com o Governo do Amapá, via Secretaria dos Afrodescendentes.

As 25 comunidades remanescentes de quilombo beneficiadas pertencem aos municípios de Macapá, Santana, Oiapoque, Calçoene e Tartarugalzinho.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG