Candidatos traçam mesmo roteiro e afagam prefeitos

O trio de presidenciáveis foi convidado para participar da Marcha dos Prefeitos, em Brasília. Será o segundo encontro no mês

Andréia Sadi e Adriano Ceolin, iG Brasília |

A cinco meses do confronto das urnas, os pré-candidatos à Presidência se enfrentarão, só no mês de maio, pelo menos três vezes durante eventos para falar sobre propostas de governo. No dia 19 de maio, às 9h, os presidenciáveis foram convidados para acompanhar a Marcha dos Prefeitos, em Brasília. O trio responderá perguntas da Confederação Nacional de Municípios (CNM) e dos prefeitos, mas não devem debater entre sim.

O formato do evento servirá como uma segunda prévia dos debates que deverão ocorrer após as convenções dos partidos, em junho. Organizado pela CNM, o evento espera reunir mais de cinco mil autoridades suprapartidárias, além do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O objetivo da sabatina, segundo a organização do evento, é conhecer a opinião dos candidatos sobre temas da administração municipal. A presença de Lula está prevista para o encerramento do evento, no dia 20, às 10h30.

Uma das principais pautas do encontro será o repasse constitucional dos municípios. Para ser entregue aos candidatos e ao presidente, a CNM preparou pauta de reivindicações e deve incluir o apoio financeiro aos municípios para ajudar na recomposição das perdas no Fundo de Participação dos Municípios.

No último dia 5, pela primeira vez na mesma mesa , em Belo Horizonte, os candidatos se encontraram na abertura do 27º Congresso Mineiro de Municípios. Em manifestação endereçada aos prefeitos presentes ao evento, Dilma mencionou o PAC nas cidades históricas de Minas Gerais e o diálogo com os municípios interessados em reposição de PIS e Cofins.

No dia 25, o trio também deve se encontrar. Está previsto um evento da CNI (Confederação Nacional da Indústria), em Brasília, com mais de 300 empresários.

Estratégias

Na véspera, a pré-candidata do PT terá um encontro exclusivo com centenas de prefeitos de partidos da base aliada ao governo Lula em um hotel da capital federal. Esta será a segunda vez que os presidenciáveis irão a evento no mês para afagar prefeitos.

Durante a marcha, o PT deverá exaltar os investimentos da segunda fase do PAC, uma das bandeiras da campanha de Dilma. Lançado no final de março, o programa tem foco em grandes cidades, com o objetivo de atrair os votos das regiões metropolitanas do Sul e do Sudeste, onde a oposição está na frente na disputa com a petista.

Serra ainda acerta os detalhes de sua agenda para ir ao encontro. O tucano irá ao Nordeste no começo da semana que vem. Passará dois dias no sertão do Ceará, visitando os municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha.


“A intenção é fazer com que ele venha direto para Brasília na quarta-feira”, afirmou a senadora Marisa Serrano (PSDB-MS), coordenadora da agenda de Serra na pré-campanha. Segundo ela, o candidato já manifestou o desejo de marcar presença na marcha.


Marisa afirmou que o PSDB não levará em consideração o fato de a marcha ter sido usada politicamente pelo governo federal nos últimos anos. “Sabemos que tudo é possível, mas acho que isso não vai acontecer este ano”, disse.


Para tanto, a senadora avalia como “fundamental” a presença dos candidatos adversários da governista Dilma Rousseff. Portanto, além de Serra, a candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva. “Os dois têm de ir para evitar qualquer vinculação partidária”, disse. A assessoria de Marina Silva já confirmou a sua presença no evento.

Marisa Serrano lembra ainda que Serra conhece os problemas dos prefeitos porque comandou a prefeitura de São Paulo entre janeiro de 2005 e abril de 2006, quando renunciou ao cargo para disputar o governo paulista.

    Leia tudo sobre: Dilma RousseffJosé SerracandidatosMarina Silva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG