Candidatos maranhenses têm dificuldades para fazer caixa

Coordenadores de campanhas esperam que doações financeiras sejam intensificadas a partir da intensificação da disputa

Wilson Lima, iG Maranhão |

A arrecadação financeira das três principais candidaturas ao governo do Estado do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), Jackson Lago (PDT) e Roseana Sarney (PMDB) está abaixo do esperado nesse primeiro momento. As coordenações de campanha não divulgam números, mas todas admitem que estão contraindo dívidas maiores que os recursos já arrecadados nesse primeiro momento.

O coordenador da campanha de Roseana Sarney, Luís Fernando Silva, afirmou que todas as campanhas passam pela mesma dificuldade nesse início. Ele informou que a tendência é que as doações sejam intensificadas a partir do avanço da campanha. "Nós vamos contraindo as dívidas e depois fazendo o pagamento. O que a gente já conseguiu não é suficiente para garantir a campanha até o fim. Isso é normal. Não é nenhuma particularidade da nossa campanha", declarou Luís Fernando Silva.

A campanha de Jackson Lago além das dificuldades habituais do início de campanha também enfrenta a desconfiança de alguns doadores. Lago teve sua candidatura impugnada pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) e integrantes da campanha do pedetista afirmaram que isso tem dificultado o processo de coleta de doações para a campanha. "Quando viajamos, muitos se surpreendem quando vê o Jackson Lago candidato", declarou Cândido Lima, integrante da coordenação da campanha de Lago a um jornal de São Luís.

Nesse primeiro momento, a campanha do deputado federal Flávio Dino conta, nesse primeiro momento, com as economias pessoais do candidato. A coordenação de campanha espera que as maiores doações ocorram a partir de agosto, quando haverá a intensificação dos eventos no interior do Estado, onde ele ainda é desconhecido da grande população. Dos três principais candidatos, Dino tem a menor previsão orçamentária de todos: R$ 8 milhões.

No Maranhão, a campanha com a maior previsão orçamentária é a de Roseana Sarney. A governadora candidata à reeleição deve gastar R$ 20 milhões. Lago pretende gastar R$ 15 milhões. Saulo Arcangeli, do Psol, projeta gastar R$ 80 mil e Marcos Silva, R$ 60 mil. "Agora, esse é um teto. Isso não significa que nós gastaremos tudo na campanha", esclareceu Luis Fernando Silva.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG