Candidatos condenam autofagia no Senado e defendem transparência

Gleisi, Fruet, Requião e Barros participaram de debate sem provocações ou ataques pessoais

Francisco Camargo, iG Paraná |

Como era esperado, não houve provocações ou ataques pessoais no debate entre os principais candidatos ao Senado na Universidade Positivo, em Curitiba, na noite desta segunda-feira, dia 2. No encontro promovido pela instituição, a primeira a falar foi Gleisi Hoffmann (PT), seguida de Gustavo Fruet (PSDB), Roberto Requião (PMDB) e de Ricardo Barros (PP).

A petista defendeu a união de esforços em favor do Paraná. Para ela, o Senado não é o espaço para o contraditório. “Precisamos unir nossas lideranças. O Senado não é lugar de oposição, é como se fosse um embaixador que representa a unidade do território, que busca o diálogo, o desenvolvimento. Temos que parar com a autofagia de achar que o problema está no outro”, afirmou.

Já Requião criticou o capital especulativo, enquanto Fruet defendeu o papel institucional do Senado e a necessidade de mudanças que pretende promover. Barros foi mais longe, garantindo que pretende abrir a caixa preta do Senado e submeter a instituição ao Observatório Social, entidade que poderá dar transparência a todos os atos políticos e administrativos da Casa. Citou seu trabalho como deputado federal na luta por recursos da União em favor do Estado.

Candidatos a governador
Na manhã de hoje, dia 3, a Universidade Positivo reúne os candidatos ao governo Beto Richa (PSDB) e Osmar Dias (PDT), que darão palestra e, depois, debaterão com o público. Paulo Salamuni e Rubens Hering, candidatos do PV ao governo e ao Senado, respectivamente, encerrarão a série de encontros com políticos.

    Leia tudo sobre: debateeleiçõesparaná

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG