Arrecadação pela internet, entretanto, decepcionou as expectativas de doações e deve atingir, no máximo, R$ 2 milhões

Enquanto a campanha do tucano José Serra teve prejuízo de R$ 20 milhões no primeiro turno da disputa presidencial, as contas da petista Dilma Rousseff apontam um superávit de R$ 5 milhões. Segundo o tesoureiro da campanha, José de Filippi, Dilma arrecadou R$ 100 milhões e gastou R$ 95 no primeiro turno. “Foi uma arrecadação que eu classificaria como muito boa”, comemorou o tesoureiro.

Na semana passada, o PT solicitou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o aumento do teto de gastos da campanha de R$ 157 milhões para R$ 176 milhões que somados aos R$ 15 milhões solicitados pelo candidato a vice, Michel Temer (PMDB), atingem R$ 191 milhões. O pedido ainda não foi julgado.

Segundo Filippi, o aumento do teto tem como objetivo cobrir os gastos nos Estados em que a eleição foi definida no primeiro turno, que devem chegar a R$ 25 milhões. Como nestes locais a disputa acabou no dia 3 de outubro, a campanha nacional assumirá os custos para que as estruturas estaduais não sejam desmontadas. “Estes Estados têm mais de 80% do eleitorado”, explicou o tesoureiro.

Segundo ele, os itens que mais pesaram foram os gastos com a produção de programas de TV e rádio além do material gráfico. Juntos estes itens somaram entre 55% e 60% do custo da campanha.

Embora tenha comemorado os números de arrecadação, Filippi não escondeu a decepção com a campanha de doações pela internet. Até agora, a ferramenta rendeu R$ 1,8 milhão e deve chegar no máximo a R$ 2 milhões até o final da disputa.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.