'Brasil não aguentaria crescimento em ritmo chinês', afirma Dilma

Candidata do PT diz ser 'impossível' que se formalize a autonomia do Banco Central e promete reforma tribuária em seu governo

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff , disse nesta segunda-feira que o Brasil não está preparado para suportar um crescimento econômico muito grande, em ritmo chinês.

“O objetivo do governo não é pular para um crescimento que País não está preparado para aguentar, de 9%. Nosso objetivo é um aumento gradual”, disse a ex-ministra da Casa Civil, ao ser questionada sobre temas econômicos durante entrevista ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura.

Ela disse também considerar “impossível” que se formalize a autonomia do Banco Central e afirmou que a autonomia operacional “funciona bem”. Lembrou também que o BC aumentou a taxa de juros em pela época de campanha eleitoral – numa tentativa de refutar um possível uso político da instituição.

Dilma defendeu uma reforma tributária e classificou o sistema atual de “caótico”. Prometeu reduzir a zero a carga tributária sobre investimentos, e falou também que pretende reduzir a tributação da folha de pagamento e da energia elétrica.

Se eleita, disse que irá aproveitar o primeiro ano de governo para fazer as reformas necessárias.

    Leia tudo sobre: dilmaBCcrescimentoeleições 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG