Boca de urna dá prisão no Pará

Ministério Público Federal prendeu 19 pessoas. Cabos eleitorais burlam legislação com jingles e `santinhos¿

Pollyana Bastos, iG Pará |

O Ministério Público Federal (MPF-PA) está com dificuldades para conter a propaganda irregular neste segundo turno das eleições no Pará. O número de militantes nas ruas é bem maior do que no primeiro turno. O Pará foi o estado que mais registrou prisões por crimes eleitorais neste domingo. Até o início da tarde, 19 pessoas haviam sido presas, a maioria por prática de boca de urna.

Em Belém, os agentes tentam inibir a utilização de carros-som e apreendem CDs com jingles políticos. De acordo com a legislação, os eleitores têm direito apenas à manifestação silenciosa no dia do pleito, mas a medida não está sendo respeitada pelos partidos concorrentes (PT e PSDB). A distribuição de material gráfico e colocação de bandeiras próximo às zonas eleitorais também estão sendo observadas.

Durante a madrugada, militantes do PT e PSDB jogaram "santinhos", alguns inclusive de caráter difamatório próximo aos locais de votação para burlar a fiscalização implantada hoje pelo PMF. Grande parte do material foi recolhido, mas as denúncias de irregularidades não param de chegar à central de atendimento, através do disk denúncia.




    Leia tudo sobre: eleições pampf patre paboca de urnapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG