Boato faz PF revistar governador de Roraima

Anchieta estaria transportando R$ 5 milhões para comprar votos. Governador diz que oposição quer desvirtuar eleições

Ricardo Gomes, iG Roraima |

No inicio da tarde desta quinta-feira, o governador de Roraima e candidato á reeleição Anchieta Junior (PSDB), foi abordado por agentes da Polícia Federal (PF) no centro de Boa Vista, capital, fato que provocou um intenso tumulto presenciado por populares que passavam pelo local. A ação da PF tinha como objetivo investigar ilícitos eleitorais.

Principalmente relacionados à compra de voto. Mas após serem verificados os veículos em que se encontrava o governador e seus seguranças, nada foi encontrado. Após o incidente, Anchieta e comitiva seguiram para o palácio Helio Campos, sede do governo Estadual, onde concedeu entrevista coletiva.

"Abordagem de rotina"

Acompanhado da deputada federal eleita Teresa Surita (PMDB) e do candidato a vice-governador, deputado Chico Rodrigues, o governador afirmou que iria desfazer possíveis boatos que surgiram sobre sua possível condução à sede da Superintendência da PF para prestar esclarecimentos e desmentir a informação de que estaria com uma quantia de R$ 5 milhões.

Anchieta Junior esclareceu que tudo não passou de uma abordagem de rotina da polícia judiciária eleitoral e não houve, ao contrário do que foi especulado, reação truculenta por parte de sua segurança ou de pessoas que o acompanhavam, nem tampouco foi conduzido ao prédio da PF para prestar esclarecimentos.

“Quero esclarecer que não fui conduzido à sede da PF e nem existia comigo a quantia de R$5 milhões,” assegurou Anchieta. O governador acredita que a denúncia é fruto do momento político e disse que seus opositores “estão criando fatos com a intenção de desvirtuar o processo eleitoral.”

    Leia tudo sobre: eleições rranchieta junior rrpf rrcompra de votos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG