Bassuma admite desacerto com campanha de Marina Silva

Candidato ao governo da Bahia acredita que coordenação nacional não vê o potencial da Bahia

Lucas Esteves, iG Bahia |

O candidato do PV baiano ao governo do Estado, Luiz Bassuma, admitiu em entrevista que o diretório regional do partido não se entende muito bem com a direção nacional da campanha de Marina Silva à Presidência. Segundo ele, não há a preocupação em decidir em que dia a presidenciável aparecerá no Estado durante sua campanha, o que ainda não fez antes de lançar oficialmente a candidatura, e que ele não será o "chato e insistente" que fará pressão incessante no PV nacional para isto.

Segundo Bassuma, a direção da campanha não está dando à Bahia a devida atenção, uma vez que o Estado representa o quarto maior colégio eleitoral do Brasil. "Por que Marina, na Bahia, segundo as pesquisas, está com 6% e em São Paulo está com 13%? Porque a maioria das agendas é cumprida em São Paulo. Preferia que não fosse assim, mas também não sou eu que serei o chato e insistente. Acho que nós temos que fazer o nosso trabalho andar. Ela vindo, é bom", atestou o candidato verde.

Bassuma criticou também o grupo contratado pelo PV nacional para fazer os programas eleitorais. O filme baiano foi produzido em São Paulo e não incluiu as imagens das duas últimas visitas de Marina a Salvador e Juazeiro e ainda manteve apenas a mensagem geral que a candidata endereça aos candidatos regionais do partido. Depois deste problema, o PV baiano resolveu investir na edição local para evitar equívocos.

Com dificuldades financeiras, a campanha da legenda no Estado segue prejudicada e, por isso, o candidato alega que tem que ser "criativo" e "prioritário" na escolha de lugares para caminhadas. Por este motivo, nenhum comício foi feito desde o início da campanha. Bassuma garante que este cartucho está sendo guardado exatamente para quando Marina Silva eventualmente decidir vir à Bahia. Para isto, também pesa a frágil condição de saúde da ex-ministra do Meio-Ambiente.

"A coordenação de campanha dela já decidiu: ela não tem condições de fazer mais de um comício ou três, quatro atividades desse nível, que demandem muita energia. Ao vir à Bahia, ela vai fazer algumas atividades diferentes, mas comício mesmo só deve ser um. Até por razões econômicas, mesmo. Porque organizar um comício bem feito demanda recursos, então nós também temos sido econômicos nisso."

Bassuma afirmou ainda não acreditar que a coordenação da presidenciável esteja intensificando ações em prol de sua candidatura. Segundo ele, apenas Fernando Gabeira, que disputa o Governo do Rio, está em situação melhor que seus correligionários nas pesquisas. "O PV, tirando o Rio de Janeiro, que a disputa é com (Fernando) Gabeira, nos outros Estados está todo mundo com 1%. Então não é por discriminação, porque não é todo mundo que está com 30% menos nós. Eu não vou insistir, cobrar. O pessoal da coordenação dela deve ter critérios", apaziguou.

    Leia tudo sobre: eleições baLuiz BassumaPV

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG