Baracat depõe por quase 7 horas na Polícia Federal

Após depoimento de empresário que deu início à crise na Casa Civil, PF ouve o o ex-diretor de operações dos Correios

Danilo Fariello, iG Brasília |

O empresário Fabio Baracat prestou depoimento hoje à Polícia Federal durante quase 7 horas. Quando chegou ao prédio da superintendência em Brasília, por volta das 10 horas e meia da manhã, seu advogado, Douglas Telles, minimizou o evento , dizendo que uma negociação comercial acabou ganhando contornos políticos.

Partiram de Baracat as principais acusações de um esquema de tráfico de influência que inclui Israel Guerra, filho da ex-ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra, para favorecer a Master Top Linhas Aéreas (MTA) em licitação dos Correios.

Baracat não fez comentários na saída do prédio da PF. Neste momento, quem presta depoimento é o ex-diretor de operações dos Correios Eduardo Artur Rodrigues Silva. Ele é acusado de ser “laranja” de um empresário argentino, que seria o verdadeiro dono da MTA. A regulação brasileira, porém, veta o controle de empresas aéreas por estrangeiros.

Por conta da demora do depoimento de Baracat, o coronel Rodrigues Silva permaneceu por mais de duas horas aguardando sua vez na ante-sala do prédio da superintendência da PF.

O ex-assessor da Casa Civil Vinicius Castro e sua mãe, Sônia Elizabeth Oliveira Castro, uma das sócias da Capital Consultoria, empresa responsável por suposto lobby no governo, serão ouvidos na segunda-feira.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG