BA: Caminho de Juca Ferreira é sem volta, diz presidente do PV

Atual ministro da Cultura se desfiliou do PV e faz campanha para a candidata do PT, Dilma Roussef

Lucas Esteves, iG Salvador |

Maior expressão recente nacional do PV baiano, o ministro da Cultura, Juca Ferreira, pediu desfiliação do partido em março de 2010, pois há tempos vivia desafinado com o discurso da legenda no estado. O titular da pasta nacional defendia o apoio interno à candidatura de Dilma Rousseff à Presidência da República, mas foi vencido diante do projeto individual da legenda personificado em Marina Silva. O PV baiano tomou caminho parecido este ano e lançou Luiz Bassuma ao governo do Estado, algo que Juca também não aprovava.

Para o presidente baiano do PV, Ivanílson Gomes, Juca Ferreira seguiu um caminho sem volta ao se ligar umbilicalmente ao PT e não deve voltar a militar no partido. “Juca tomou uma decisão sem volta. Ele escolheu voluntariamente se engajar na campanha de Dilma (Rousseff, PT), enquanto o PV está unido em torno da candidatura própria de Marina (Silva)”, desdenhou Gomes. Ele alega que sequer sabe em que pé está o processo de desfiliação do ex-colega. “Eu nem sei. Ele pediu desfiliação, mas nem sei se saiu de verdade. De qualquer maneira, ele não deve voltar”.

Ferreira herdou em 2008 o Ministério da Cultura de Gilberto Gil pelo fato de estar ativo no trabalho junto ao político-cantor desde 2003, muitas vezes sendo até apontado como o ministro de fato, quando Gil frequentemente se ausentava de ocasiões oficiais e outros compromissos da pasta. Mesmo assim, o PV nacional não apoiou a indicação do nome, o que demonstra que as relações entre o baiano e os verdes nacionais já andava azeitada fazia tempo. Por não estar filiado a nenhum partido, Juca Ferreira não é candidato a nenhum cargo este ano.

    Leia tudo sobre: PVBahiaeleições

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG