Atrás de apoio, PSDB divulga carta para estreitar relações com PV

Na carta, o presidente do partido se compromete com o veto ao Código Florestal, mas não diz nada sobre investimento em Educação

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo |

Na tentativa de atrair setores do PV, o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, divulgou uma carta aberta ao presidente da sigla comprometendo-se com ao menos seis itens da carta de intenções que o partido da senadora Marina Silva (AC) divulgou na semana passada.

 A carta do PV, intitulada “ Agenda por um Brasil justo e sustentável ", vem sendo citada pelos verdes como compromisso básico para que começassem a negociar qualquer acordo com os partidos que buscam apoio de Marina no segundo turno das eleições presidenciais.


Na mensagem do PSDB, Guerra tece elogios a José Luiz Penna, presidente nacional do PV, e se compromete com o veto à anistia aos desmatadores da Amazônia, item polêmico da reforma do código florestal que tramita atualmente no Congresso Nacional.

O PSDB também se compromete com a reforma do sistema eleitoral, além da revisão da matriz energética nacional, transformando parte dos geradores para energia limpa e sustentável.


Apesar do item do Código Florestal ser muito caro ao PV e à Marina Silva, o PSDB não se comprometeu com outros dois itens incluídos na lista dos verdes: a elevação dos gastos em Educação para 7% do PIB e moratória aos novos investimentos em usinas de energia nuclear no Brasil. Apesar disso, o presidente do PSDB diz que vê “convergência” entre as agendas de Marina Silva e do tucano José Serra.


Reações dentro do partido


A carta de Guerra foi recebida dentro do PV como mais um passo de aproximação com o PSDB, que tenta desde o fim do primeiro turno um acordo com Marina Silva. Há apenas dois dias da convenção que definirá qual dos candidatos o PV vai apoiar nessas eleições, os tucanos usam as últimas armas para tentar convencer o Partido Verde a apoiar José Serra.


Apesar do partido se encaminhar para uma posição de neutralidade, ou “independência” – como os verdes querem que a decisão pareça, os tucanos Aloysio Nunes Ferreira e Xico Graziano estiveram reunidos com representantes do PV no Rio para tentar uma aproximação de última hora.


Assim como Nunes e Graziano, um dos coordenadores do plano de governo de Dilma Rousseff, Marco Aurélio Garcia, também esteve reunido com lideranças do PV ontem e hoje. Segundo fontes do Partido Verde, os dois partidos têm corrido contra o tempo para tentar evitar que os verdes saiam da convenção do próximo domingo com uma posição neutra nessas eleições.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG