Artistas divergem de Marina sobre temas polêmicos durante evento

Apesar de estranharem a posição da candidata sobre aborto e casamento gay, artistas marcam presença em evento de apoio à Marina

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo |

Com posições pessoalmente contrárias ao aborto, legalização da maconha e casamento gay, a presidenciável do PV, Marina Silva , passou pelo maior teste sobre esses temas nesta segunda-feira. Acostumada a palestras e explanações em universidades, escolas, sindicatos e até igrejas, a candidata foi recebida por artistas na casa de shows Studio SP, na rua Augusta, centro de São Paulo, reduto cultural underground da capital paulista.

Logo na entrada do evento, filipetas do anfitrião da noite, Alexandre Youssef, dono da casa de shows e candidato do PV a deputado federal, eram distribuídas com a defesa do aborto, da liberalização das drogas e do casamento gay. A candidata já declarou ser contra essas bandeiras.

Agência Estado
O rapper Xis durante encontro com a candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, no Studio SP, em São Paulo
Entre os convidados, alguns desconheciam as opiniões da candidata. A atriz Thalma de Freitas, por exemplo, chegou a duvidar dos repórteres quando apresentada as versões da candidata em relação ao casamento gay. Amiga pessoal de Jean Wyllys, ex-BBB assumidamente gay que é candidato a deputado federal no Rio, a atriz se disse surpresa e só fez a conexão dos assuntos ao ser informada que a candidata era evangélica da Assembleia de Deus.

O rapper Xis, abertamente favorável à liberalização das drogas e filiado ao PPS há dois anos, conta que ligou para o partido para saber se podia declarar voto à presidenciável do PV. Fiel aliado dos tucanos do PSDB no Estado de São Paulo e no plano nacional, o PPS não viu problemas na declaração de voto na adversária, segundo contou o rapper.

A atriz e apresentadora Chris Couto, que declarou abertamente o voto a Marina, deu razão à candidata no que se refere à legalização da maconha. “A gente que é do Rio sabe o que o tráfico alimenta. É bom mesmo não mexer nesse vespeiro”, afirmou.

Questionada sobre a divergência de opiniões entre ela e os artistas presentes no evento, a própria candidata não titubeou. “Eu sempre fiz a campanha do Gabeira, sem concordar 100%. Mas naquilo que era essencial para o Rio de Janeiro. A diversidade é isso. É a capacidade da gente conviver na diferença. De estabelecer espaço de convergências, mesmo na diferença”, argumentou Marina Silva.

Cobrança

Para o empresário Alexandre Youssef, anfitrião da noite, os outros candidatos não são questionados sobre esses assuntos polêmicos. Mesmo com esse discurso, Youssef fez a defesa dos projetos apresentados na filipeta distribuída no início do evento e valorizou o voto de opinião. “Num momento em que o voto de opinião está desaparecendo no País, é muito bom ver a mobilização da classe artística em torno dela”, concluiu o dono do Studio SP.

Agência Estado
A presidenciável do PV, Marina Silva, ao lado do empresário Alexandre Youssef, candidato a deputado federal. Ele afirma que a imprensa faz ¿cobrança persistente¿ a Marina

O encontro na casa de show contou com a participação de cerca de 300 pessoas do circuito cultural de São Paulo, como o cozinheiro Alex Atala, o cineasta Fernando Meirelles e o pensador José Miguel Wisnik, entre outros.

    Leia tudo sobre: eleiçõespleito 2010eleições marinaabortomaconha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG