Após pesquisa, Dilma diz que não sobe em salto alto

Petista apareceu pela primeira vez à frente do tucano José Serra, com 40% das intenções de voto

Alessandra Oggioni, iG São Paulo |

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, disse nesta quinta-feira que é preciso ter humildade diante do resultado da pesquisa CNI/Ibope divulgada ontem que aponta uma vantagem de cinco pontos sobre o tucano José Serra. “Nesse momento, é um quadro interessante, mas nós não subimos em salto alto e ficamos achando que as coisas estão muito resolvidas ou apontam que a situação é definitiva”, afirmou a ex-ministra, em entrevista concedida à Rádio Itatiaia, de Belo Horizonte.

Questionada sobre a representação apresentada ontem pelo Ministério Público Eleitoral (MPE) por propaganda eleitoral antecipada na inauguração de um hospital em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, no dia 7 de março, a candidata negou intenção eleitoreira. “Eu te asseguro que, naquele evento, o que estávamos fazendo era comemorando o Dia Internacional da Mulher. Não teve nenhum pedido de voto, nem de minha parte, nem do ministro ( José Gomes ) Temporão, nem do secretário Sérgio Cortês, nem do governador Sérgio Cabral”, afirmou.

Dilma também comentou sobre o esforço do PT na indicação do nome do ex-ministro Patrus Ananias como vice na chapa de Hélio Costa (PMDB) para o governo de Minas Gerais. “Achamos que é possível e necessário governar em coalizão. O governo do presidente Lula deu esse exemplo de coalizão muito bem sucedida”, respondeu após ser questionada sobre uma possível “incompatibilidade” política entre Patrus e Costa.

Enchentes e Copa

A situação das enchentes nos Estados de Alagoas e Pernambuco também foi comentada por Dilma. No entanto, para a ex-ministra o atual governo aumentou os investimentos em saneamento e habitação. “Há mais de 25 anos não havia política habitacional no país”.

Ao final da entrevista, a ex-ministra ainda arriscou o placar do próximo jogo do Brasil na Copa: 1 a 0 contra os portugueses.

    Leia tudo sobre: Dilma RousseffJosé SerraMarina Silva

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG