Após debate quente, alagoanos fecham campanha nas ruas

Campanhas de Lessa e Teotonio prometem levar milhares de eleitores em eventos na noite desta sexta-feira

Janaína Ribeiro, iG Alagoas |

As carreatas prometidas para a noite desta sexta-feira (29) em Alagoas, penúltimo dia para que os concorrentes que disputam cargos eletivos saíam às ruas para pedir votos, estarão livres das agressões mútuas que costumaram aparecer nos guias eleitorais dos candidatos Teotonio Vilela Filho (PSDB) e Ronaldo Lessa (PDT). Para hoje, as assessorias de campanha dos dois postulantes ao governo do Estado prometeram arrastar centenas de carros e levar milhares de pessoas para as portas. No debate de ontem, promovido pela TV Gazeta de Alagoas, afiliada da rede Globo de Televisão, Teotonio e Vilela se atacaram diretamente e quase não apresentaram propostas.

Para logo mais às 18h30, Ronaldo Lessa agendou uma carreata no Complexo Benedito Bentes, que reúne 10 conjuntos habitacionais e dezenas de grotas na periferia da cidade. Nessa região ele já tinha popularidade e, com a aliança formalizada com o senador Fernando Collor de Mello (PTB), que tem forte base eleitoral na região, tornou-se ‘figura’ ainda mais querida entre os moradores.
Já Teotonio Vilela se direcionará a outra parte da periferia de Maceió, cujo o aliado prefeito da capital Cícero Almeida (PP) ‘domina’ a localidade. O tucano também programou o que a sua assessoria de campanha chama de ‘carreata pelo bem de Alagoas’.
Debate agressivo
E com a proibição, pela legislação eleitoral, de novos comícios a partir deste dia 29, as carreatas não terão mais discursos ofensivos e cheios de ataques, características presentes em quase todas as aparições dos dois candidatos.
No debate promovido pela TV Gazeta na noite de ontem, Vilela e Lessa fizeram um embate com quase nenhuma apresentação de propostas, desmentiram números fornecidos pelo adversário e se acusaram durante os três blocos. Palavras como ‘mentiroso’, ‘réu’, ‘denunciado’, ‘corrupção’, ‘propina’, ‘altista’ e ‘cara de pau’ marcaram o tom ofensivo do encontro entre os dois.
Lessa foi o primeiro a criticar o seu opositor. “Ele mentiu durante quatro anos para o povo de Alagoas. Disse que trouxe mais de 40 indústrias, mas só se foi para outro mundo, que não esse real em que vivemos. Sabe como é o apelido dele por aí? Teozinho no país das maravilhas”, alfinetou o pedetista.
Vilela contra-atacou: “Você é um altista. Não consegue ver e nem entender o desenvolvimento pelo qual passa o Estado”, respondeu, ao se referir a geração, segundo ele, de mais de 100 mil empregos ao longo dos quatro anos de sua administração.
A operação ‘Navalha’, da Polícia Federal, foi tema de livre escolha no debate. “Você fica pregando moralismo e respeito à coisa pública, mas foi denunciado por crime de corrupção, por ter recebido propina da construtora Gautama. Você é réu e foi denunciado pelo Ministério Público Federal. Explique isso ao povo”, provocou o candidato que tem o apoio do presidente Lula.
“Você é um mentiroso, Ronaldo. Eu sou não sou réu nessa ação penal. Inclusive, a Controladoria Geral da União me inocentou”, defendeu-se Vilela.
“Você tem é cara de pau de mentir assim. Diga à população que você impediu a Assembleia Legislativa de permitir que o STF abrisse um processo contra a sua pessoa. Admita”, esbravejou Ronaldo Lessa.
Os dois candidatos usaram poucos minutos, dos 50 que tiveram o debate, para dizer que geraram empregos, atraíram indústrias e construíram novas escolas.

    Leia tudo sobre: eleiçõeseleições alcampanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG