Após contradição entre acusados, polícia fará acareação

Em novo depoimento, Antonio Carlos Atella afirma que filiação ao PT foi feita após assistir showmício com dupla sertaneja

Matheus Pichonelli, iG São Paulo |

O contador Antonio Carlos Atella Ferreira prestou depoimento nesta sexta-feira à Polícia Civil em Santo André e entrou em contradição com o office boy Ademir Estevão Cabral. Ambos são suspeitos no caso da quebra de sigilo de Verônica Allende Serra, filha do candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra.

Agência Estado
O contador Antonio Carlos Atella prestou depoimento nesta sexta-feira na 2ª Seccional de Polícia de Santo André, na Grande São Paulo
Atella declarou hoje no depoimento que retirou as informações fiscais de Verônica a pedido de Cabral. Ontem, o office boy havia dito, também à Policia Civil, que não reconhecia o documento usado por Atella para obter na Receita Federal os dados fiscais de Verônica. O documento continha uma assinatura falsa da filha do tucano.

Segundo Atella, os formulários que recebia de Cabral para retirada das informações na Receita já vinham preenchidos. O depoimento durou cerca de três horas. Ele não concedeu entrevista à saída da delegacia.

Com a contradição, o delegado José Emílio Pescarmona, da Segunda Seccional de Santo André, afirmou que vai pedir a acareação entre os dois suspeitos. No depoimento desta sexta, Atella voltou a afirmar que desconhecia o que seria feito com as informações de Verônica Serra e de seu marido, Alexandre Bourgeois - que também teve o sigilo violado por meio de uma falsa procuração apresentada por Atella.

Sobre sua filiação ao PT, o contador declarou ao delegado que foi feita em um momento de empolgação, em 2003, após assistir a um showmício com a dupla sertaneja Zezé de Camargo e Luciano. Depois do depoimento, o delegado afirmou que ambos estão mentindo. Disse também que pretende ouvir Verônica e Alexandre, mas não adiantou quando isso será feito.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG