Ao fim do debate, Dilma nega ter sido agressiva

Ao falar sobre afirmações como a de que o tucano tem 'mil caras', petista disse se tratar apenas de uma 'constatação'

Ricardo Galhardo, iG São Paulo |

A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff , e o comando de sua campanha negaram, ao final do debate da Band, que ela tenha adotado uma postura agressiva. “Não é uma nova estratégia, é uma nova situação, é um debate de segundo turno em que as pessoas podem debater de forma muito mais dinâmica suas posições”, disse Dilma. Questionada sobre termos duros usados contra o adversário José Serra (PSDB) como “mil caras”, Dilma respondeu: “É uma constatação”.

O deputado estadual Rui Falcão (PT-SP), coordenador de comunicação da campanha, disse que, pelo formato do debate, ambos foram agressivos. “Os dois estão batendo. Ele também está sendo agressivo”, disse. Falcão negou que a suposta agressividade possa prejudicá-la já que, segundo a cartilha dos marqueteiros, “quem bate perde”. “O que o povo não gosta é de ver os candidatos falando pelas costas”, disse ele.

O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, engrossou o coro: “Ela não bateu. É que em um debate de dois tem que haver confronto”, disse.

A avaliação do PT é que Dilma cumpriu duas das missões que tinha para o debate: enterrou a agenda religiosa e saiu da defensiva. “Ela foi assertiva e mostrou que campanha se faz às claras”, disse o deputado José Eduardo Cardozo (PT-SP), da coordenação da campanha.

Por outro lado, a postura de Dilma surpreendeu alguns tucanos. “Êita mulher brava!”, exclamou o senador Sérgio Guerra, presidente nacional do PSDB, depois do debate. Para ele Dilma cumpriu seu papel ao iniciar o debate na ofensiva com o objetivo de acabar com a sangria de votos causada pela polêmica em torno do aborto mas depois se perdeu na própria agressividade.

O publicitário Luiz Gonzalez, responsável pela campanha de Serra, comentou na saída do estúdio da Band que a estratégia de Dilma foi falar para o público interno do PT, desanimado com o resultado do primeiro turno. “Ela falou para dentro”, disse.

    Leia tudo sobre: eleições dilmaeleições serrapleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG