Agora empatado tecnicamente com adversários da chapa petista, Borges une forças em campanha conjunta com candidato da coligação

Após pesquisas apontarem empate técnico com os candidatos da chapa petista ao Senado na Bahia, César Borges (PR), antes líder isolado, resolveu mudar a estratégia. Agora, o candidato faz campanha em parceria com Edvaldo Brito (PTB), companheiro de coligação, a fim de unir forças para tirar votos da oposição.

Borges, que tem 29% das intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha divulgada no fim de semana, foi repetidamente alvo de críticas dos adversários Walter Pinheiro (PT), com 28%, e Lídice da Matta (PSB), com 27%, justamente por não “casar” sua candidatura à de Edvaldo, que ainda não ultrapassou 3% nas pesquisas.

O candidato do PR também recebeu críticas por enfatizar apenas a presença de sua esposa, Tércia Borges, como sua suplente. “Tem gente que faz propaganda casal, nós fazemos propaganda casada”, dizia a locução do programa eleitoral da chapa adversária.

A crítica direta e sistemática, aliada ao apoio aberto do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, aparentemente surtiu efeito. Agora, os candidatos César e Edvaldo, da coligação de Geddel Vieira Lima (PMDB), trocam elogios e recebem apoio das lideranças da chapa.

No entanto, o apoio de 19 vereadores da capital a Borges, na última sexta-feira (17), não se estendeu a Edvaldo, que é também vice-prefeito de Salvador. Em outra ocasião, o petebista já havia, inclusive, reclamado de candidatos “com salto alto”, em provável alusão ao candidato do PR.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.