Em disputa apertada, o atual governador do Estado bateu o candidato Neudo Campos, do PP, com diferença de menos de dois mil votos

José de Anchieta Júnior (PSDB), eleito governador de Roraima
AE
José de Anchieta Júnior (PSDB), eleito governador de Roraima
O governador José de Anchieta Júnior (PSDB) vai passar mais quatro anos no Palácio Senador Helio Campos, sede do governo de Roraima. Em disputa apertada, o governador reeleito recebeu 107,4 mil votos (50,4%). Seu concorrente, Neudo Campos (PP) ficou com 105,7 mil (49,6%). A diferença dos votos foi de menos de dois mil votos.

Além de acirrada, a disputa pelo governo de Roraima foi marcada por viradas. Campos venceu o primeiro turno, com 47,6% dos votos. A vantagem foi levada para o início do segundo turno. Até meados de outubro, ele tinha 10 pontos percentuais de vantagem sobre Anchieta. A virada do governador reeleito deu-se nos últimos dias de campanha.

Anchieta foi eleito vice-governador em 2006, na chapa de Ottomar Pinto. Com a morte de Ottomar, assumiu o governo do Estado em dezembro de 2007. O governador tem o apoio de lideranças políticas, dentre as quais o senador Romero Jucá (PMDB) – líder do governo Lula – e de nove prefeitos do interior.

Durante a campanha, Anchieta anunciou a implantação de Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) na capital, Boa Vista, e prometeu consolidar a interiorização da energia sustentável, com a construção da hidrelétrica de Cotingo. Se eleito, ele também promete incrementar o setor produtivo.

Anchieta formou-se em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Ceará (UFC), em 1988. Em 1991 chegou a Roraima. Em 2004, assumiu o primeiro cargo público como secretário de Estado de Infraestrutura de Roraima, além de ocupar temporariamente a Secretaria de Estado de Articulação Municipal.

Menor colégio

Anchieta é ex-presidente do Conselho Rodoviário Estadual e membro do Comitê Gestor para Assuntos Fronteiriços. Ele se desincompatibilizou de suas atividades públicas em março de 2006 para concorrer à vaga de vice-governador na chapa de Ottomar Pinto, que há época tentava a reeleição ao governo de Roraima.

Com 271,6 mil eleitores, Roraima é o menor colégio eleitoral do País. De acordo com informações do jornal Folha de S. Paulo, o Estado teve o maior volume de dinheiro apreendido por suspeita de compra de votos no primeiro turno. Para combater crimes eleitorais, a Polícia Federal recebeu reforço de 25 agentes e cinco delegados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.