"Analista pode ser expulso do partido", diz presidente do PT-MG

Reginaldo Lopes admite filiação de Amarante, que teria acessado dados de tucano, mas disse ao iG que ele não é militante

Andréia Sadi, iG Brasília |

O presidente do PT de Minas Gerais, Reginaldo Lopes, confirmou ao iG nesta segunda-feira que o analista tributário Gilberto Souza Amarante , que trabalha para Receita Federal no interior de Minas Gerais e acessou dez vez os dados fiscais do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, é filiado ao partido. Segundo Lopes, se ficar comprovada a atuação dele no caso, o analista será “excluído dos quadros do partido”.

“Ele é filiado burocraticamente. Existe uma diferença entre ser filiado e ser militante, coisa que ele não é”. Ele não participa de reuniões", disse Lopes.

Segundo ele, usar o caso com fins eleitoriais é um “exagero” da oposição. “ Eu não localizei o analista. Procurei na ficha dele seus contatos, mas ele não foi encontrado. Agora, politizar isso é um exagero até porque José Serra é quem é especialista em criar factóides”, acusou.

De acordo com os dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Amarante é um dos 276 filiados do PT que votam na cidade de Arcos, vizinha ao município mineiro de Formiga, onde o analista acessou, no dia 3 de abril de 2009, o CPF de Eduardo Jorge dez vezes em menos de um minuto.

    Leia tudo sobre: eleições DilmaReginaldo Lopespleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG