Amazonas escolhe seus líderes

O segundo Estado mais rico da região Norte vai às urnas hoje para eleger 36 novos dirigentes políticos

Menezes y Morais iG Brasília |

O Estado do Amazonas, localizado na região Norte do Brasil, capital Manaus, tem 62 Municípios, população estimativa de 3 393 369 e mais de dois mil eleitores – conforme o Tribunal Regional Eleitoral – que vão eleger a partir das 8h deste domingo (3) o governador e o vice, dois senadores, 24 deputados estaduais e 8 deputados federais.

O eleitorado tem cinco opções de escolha para governar o Estado: Omar Aziz (PMN), Alfredo Nascimento (PR), Hissa Abrahão (PPS), Herbert Amazonas (PSTU), Luiz Sena (PSOL) e Luiz Navarro (PCB). O Amazonas tem como estados limítrofes Roraima, Pará, Mato Grosso, Rondônia e Acre.

É governado por Omar Aziz (PMN), eleito em 2007, cujo mandato termina no dia 31 de dezembro, disputa a reeleição. São Senadores: Arthur Virgílio (PSDB), Jefferson Praia (PDT) e Alfredo Nascimento (PR). O Estado atualmente não tem vice-governador.O Amazonas é considerado o segundo Estado mais rico da região Norte,

O Estado é responsável por 32% do PIB da região. Possui o maior Índice de Desenvolvimento Humano (empatado com o Amapá), o maior PIB per capita, a 4ª menor taxa de mortalidade infantil, além 3ª menor taxa de analfabetismo entre todos os estados das regiões Norte. A expectativa de vida do amazonense é de 72, 2 anos

Maior que a França

O Estado tem taxa de mortalidade infantil de 24,3‰ e a de analfabetismo, 7,0%. É uma das 27 unidades federativas do Brasil, sendo a mais extensa delas, com uma área de 1.570.745,680 km², que faz do Estado a nona maior subdivisão mundial, maior que as áreas somadas de França (547.030,0 km²), Espanha (504.782,0 km²), Suécia (357.021,0 km²) e Grécia (131.940,0 km²).

O Amazonas tem como limites os países da Venezuela (o estado de Roraima a norte, o Pará a leste, o Mato Grosso a sudeste, Rondônia a sul, o Acre a sudoeste). O Peru está situado a oeste e a Colômbia a noroeste. É um dos poucos estados brasileiros que não tem litoral, mas possui a maior bacia hidrográfica e o maior rio do mundo, a Bacia Amazônica e o rio Amazonas.

O Amazonas é também o segundo Estado mais rico da região Norte, responsável por 32% do PIB da região. Possui o maior Índice de Desenvolvimento Humano (empatado com o Amapá), o maior PIB per capita, a 4ª menor taxa de mortalidade infantil, além 3ª menor taxa de analfabetismo entre todos os estados das regiões Norte do Brasil.

“Ruído das águas”

Com mais de três milhões de habitantes, é o segundo estado mais populoso do Norte. Sua capital, Manaus, é a maior e mais populosa metrópole da Amazônia. O nome Amazonas foi originalmente dado ao rio que banha o estado pelo capitão espanhol Francisco de Orellana, quando o desceu em todo o seu comprimento, em 1541.

O capitão espanhol afirmou ter encontrado uma tribo de índias guerreiras, com a qual teria lutado, e associando-as às Amazonas da mitologia grega, deu-lhes o mesmo nome. Segundo etimologia alternativa defendida pelo historiador Karl Lokotsch, o nome Amazonas é de origem indígena, da palavra amassunu, que quer dizer "ruído de águas, água que retumba"

Mulher vive mais

O Amazonas registrou um grande crescimento populacional no início do século XX, devido ao período da áurea da borracha, e após a instalação do Polo Industrial de Manaus, na década de 1960. O estado ainda mantém taxas populacionais superiores à média nacional.

Na década de 1950 registrou crescimento populacional de 3,6% ao ano, enquanto o Brasil manteve um crescimento de 3,2%. No período compreendido entre os anos de 1991 e 2000, o Amazonas cresceu 2,7% ao ano enquanto a média nacional manteve-se em 1,6%. Para 2010, a estimativa é de 3.473.856 habitantes.

O censo de 2000 mostrou que dos 3,3 milhões de habitantes do estado 78,4% vivem em cidades, enquanto 17,3% da população vivem no campo. A composição da população amazonense por sexo mostra que para cada 100 mulheres residentes no estado existem 96 homens. Essa diferença ocorre porque as mulheres possuem uma expectativa de vida oito anos mais elevada que a dos homens.

Extrativismo

Porém, o fluxo migratório para o estado é de maioria masculina. A capital, Manaus, é a maior cidade da Região Norte, com cerca de 1,7 milhão de habitantes, seguida por Belém com 1,4 milhão de habitantes. Manaus, uma das que mais recebem migrantes no Brasil, cresce desordenadamente com muitas áreas ocupadas de forma ilegal por invasões.

A economia baseia-se na indústria, no extrativismo, inclusive de petróleo e gás natural, mineração e pesca. Com relação ao extrativismo, grande impulso na vida econômica e na colonização da região amazônica foi dado com a exploração do látex, durante o ciclo da borracha.

    Leia tudo sobre: eleições amregião norteextrativismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG