Alerj terá mais caras velhas do que novas na próxima legislatura

Dos 70 deputados, 30 são novos; PMDB foi o partido que mais perdeu cadeiras e PDT foi o que mais cresceu

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro |

Dos 70 deputados estaduais que irão assumir o cargo em janeiro de 2011 na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), 40 vão iniciar seu segundo mandato consecutivo e, outros 30, começarão seus trabalhos do zero.

O PMDB, partido do governador reeleito Sérgio Cabral, continua com a liderança da casa, com 12 cadeiras, mas também é a legenda que mais perde espaço. Atualmente, 19 deputados cumprem mandato na Alerj. O partido apresenta ainda o maior número de reeleições: dez, entre eles, Roberto Dinamite, Domingos Brazão e Chiquinho da Mangueira.

Guiado pela vitória de Wagner Montes nas urnas, campeão de votos no Estado do Rio, com quase 530 mil votos, o PDT marca presença como a legenda que mais cresce na Assembleia Legislativa. Onze parlamentares do partido irão assumir o cargo em 2011. Atualmente, o PDT conta com seis deputados e, desses, cinco se reelegeram.

Entre os cinco mais votados, o PR aparece duas vezes: Samuel Malafaia, em terceiro, com mais de 130 mil votos, e Clarissa Garotinho, em quinto, com quase 120 mil votos. Dos atuais seis deputados, a legenda – principal oposição de Cabral na casa – passará a contar com nove parlamentares a partir do ano que vem, sendo cinco novatos.

Segundo lugar entre os mais votados, com mais de 175 mil votos, Marcelo Freixo contribui para o crescimento do PSOL na casa. Atual representante único da legenda na Alerj, o deputado terá, a partir do ano que vem, a companhia de Janira Rocha, que obteve modestos seis mil votos nas urnas.

Três partidos que não tinham representação na Assembleia garantiram assentos para a futura gestão. Em janeiro serão empossados os deputados Waguinho dos Santos Carneiro (PRTB), o Waguinho Sempre Juntos, ex-presidente da Câmara de Vereadores de Belford Roxo, e Thiago Pampolha (PRP). Empresário de 23 anos, Pampolha recebeu apoio da ex-vereadora Carminha Jerominho, cuja família, o tio Natalino e o pai Jerominho, está presa por envolvimento com milícia. A vereadora Aspásia Camargo e o advogado Alexandre José Adriano, o Xandrinho, garantiram vaga para o PV.

Confira abaixo como ficou a distribuição de cadeiras na Alerj:

PMDB: 12
PDT: 11
PR: 9
PT: 6
PSDB e PSB: 4 cada
PPS e PSC: 3 cada
PP, PMN, PRB, PSOL e PV: 2 cada
DEM, PC do B, PT do B, PTN, PSDC, PTB, PRTB, PRP: 1 cada

    Leia tudo sobre: eleições RJAlerj

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG