O pré-candidato disse que com PSDB, PMDB e DEM, sua coligação garante quase 50% do tempo de TV na propaganda eleitoral gratuita

O pré-candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), não mostrou preocupação com a possível perda de apoio de parte das lideranças políticas do PTB e do PP à sua candidatura, e disse que com PSDB, PMDB e DEM, sua coligação garante quase 50% do tempo de televisão na propaganda eleitoral gratuita. Assim como os pré-candidatos Aloizio Mercadante (PT) e Paulo Skaf (PSB), Alckmin participou hoje do Mega Polo, um fórum para o Desenvolvimento do Pólo Industrial de Cubatão.

Os três políticos compareceram ao evento em horários diferentes. Durante a manhã, Mercadante disse que sua candidatura terá o apoio de tradicionais aliados do PSDB, como parte do PP, do PTB e do DEM. "A coligação do PSDB vai reunir PMDB, pela primeira vez em São Paulo, e o DEM, com esses três partidos, nós já temos quase metade do tempo de televisão. Você tem quatro grandes tempos (PSDB, PMDB, PT e DEM) e nós temos três dos quatro. O PTB vai lançar um senador, então no caso do Senado vamos ter candidatos diferentes, mas no caso do presidente da República e do governador, o PTB vai apoiar o Serra e vai nos apoiar", completou.

A respeito do fato de estar viajado menos que seu adversário petista, Alckmin afirmou que está "respeitando a lei" e que não deverá ampliar agenda a partir de domingo, quando acontece a convenção do PSDB paulista. "A lei diz o seguinte, você tem duas datas, uma data é a convenção, a nossa vai ser domingo. Agora, a campanha mesmo, pedir voto, é só a partir dia 6 de julho, então nós estamos respeitando a lei".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.