Alckmin já ensaia troca do secretariado de Serra

Grupo de tucanos ligados ao governador eleito devem ganhar força a partir de agora

Nara Alves e Piero Locatelli, iG São Paulo |

O novo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin , deve trocar quase todo o secretariado montado por pelo presidenciável tucano José Serra quando comandava o Estado e mantido até hoje pelo atual governador Alberto Goldman no Estado. Tucanos fiéis a Alckmin na campanha da prefeitura em 2008, quando parte do partido não deu apoio a ele, devem ganhar força no novo governo. 

Os deputados federais Duarte Nogueira, Edson Aparecido e José Aníbal, que trabalharam em 2008 e 2010 com Alckmin, são cotados para secretarias importantes. Com bom trânsito em ambas as alas do PSDB, o deputado estadual Sidney Beraldo também sairá em alta das eleições e deve ganhar uma secretaria.

Coordenador da campanha da Alckmin, Beraldo abdicou da suplência na chapa de Aloysio Nunes Ferreira ao Senado e deverá ser recompensado por isso. 

Entre os poucos secretários serristas que podem ser mantidos por Alckmin, estão Andrea Matarazzo, que assumiu a secretaria da Cultura neste ano e trabalhou na campanha do governador, e Paulo Renato, atual secretario de educação e cotado para continuar em outra pasta. 

Aliados 

O PMDB pode ficar de fora do secretariado devido ao apoio dado por seus deputados federais e estaduais à candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff, duas semanas antes do pleito. O partido estava coligado com os tucanos na disputa pelo governo do Estado e engordou o tempo de TV e Rádio da campanha alckmista.

Liderado por Orestes Quércia, o partido havia rompido formalmente com o PMDB nacional que apoiava Dilma na campanha presidencial. Mas, apostando que Dilma venceria no primeiro turno, a bancada deixou de apoiar os tucanos. 

O DEM, por sua vez, deve ganhar mais espaço no novo governo, principalmente devido ao vice-governador, Guilherme Afif (DEM). 

Prefeitura 2012

Em meio à negociação de secretarias, os partidos da base de Alckmin também já começam a discutir quem será candidato à sucessão de Gilberto Kassab (DEM) na Prefeitura de São Paulo. Caso a opção seja por manter um nome do DEM, a primeira opção é Afif, que não precisaria se licenciar para concorrer ao cargo. 

Entre os tucanos, já manifestaram desejo de concorrer em 2012 ao cargo o deputado federal Walter Feldman e o secretario Andrea Matarazzo. O deputado, porém, não conseguiu se reeleger - o que dificulta suas intenções, na avaliação dos seus colegas de partido.Eleito senador, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB) também era citado.

Caso perca a eleição no segundo turno, Serra não é descartado pelos tucanos como possível candidato à prefeitura, mas dependeria da vontade do próprio ex-governador, que é tida pelos seus correligionários como imprevisível.

    Leia tudo sobre: eleições sp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG