Alckmin e Suplicy lamentam o falecimento do senador Romeu Tuma

Petista disse que sempre respeitou o trabalho do petebista no Senado, mesmo estando em campo adversário

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo |

Primeira autoridade paulista a chegar ao velório do senador Romeu Tuma, o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse que lamenta muito a morte do senador do PTB paulista. O governador disse que criou laços muito fortes com Romeu Tuma em 2002, quando dividiram a mesma coligação política nas eleições. Alckmin foi eleito governador de São Paulo e Tuma reeleito senador pelo antigo PFL, hoje Partido Democratas.

“Criamos um laço de afeto. Ele era uma pessoa afável, simples, humilde e pessoa do bem. Ele nos ajudou muito no Senado Federal, em todas as coisas que diziam respeito ao Estado de São Paulo. Quero trazer meu sentimento de profundo pesar e as minhas orações aos familiares do senador”, disse Alckmin.

Além do governador, os senadores Eduardo Azeredo (PSDB-MG) e Eduardo Suplicy (PT-SP) também vieram ao velório. Todos eles chegaram antes do caixão e dos familiares de Tuma, que só devem chegar à Assembleia Legislativa de São Paulo por volta das 20h30.

Suplicy comentou na chegada que conviveu com Tuma no Senado Federal durante longos anos e, mesmo como adversários político no início da abertura política, sempre teve profundo respeito pelo trabalho de Tuma. O senador petista lembrou de vários episódios envolvendo o senador morto e o presidente Lula, na época que Tuma era diretor do DOPS (departamento de Ordem Política e Social) da ditadura militar.

“Tuma arrumou dentista para o presidente Lula e, na ocasião em que a mãe dele faleceu, o delegado autorizou a ida do então presidente do sindicato dos metalúrgicos ao velório da mãe, dona Lindu. Era um homem de muito valor, muita coragem e muito respeito”, afirmou Suplicy.

    Leia tudo sobre: romeu tumafalecimentorepercussão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG