Alckmin diz que dois pedágios precisam ser revistos

Tucano justificou que o modelo de concessão paulista resultou nas `melhores estradas do país¿

Piero Locatelli, iG São Paulo |

O candidato ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou em feira no Centro de Exposições Anhembi, nesta segunda-feira (5), que a existência dos pedágios de Jaguariúna e Indaiatuba precisam ser revistos. Segundo Alckmin, a cobrança feita nas estradas destas cidades muitas vezes atrapalha os próprios moradores quando eles se deslocam dentro dos municípios.

Ao falar das duas praças, Alckmin não quis se responsabilizar pelos pedágios paulistas, muito criticados na gestão tucana em São Paulo. “Eu não fiz nenhuma concessão. Todas elas foram feitas em 1998 e 2008”, justificou o tucano, apesar de ter sido vice-governador de Mario Covas (PSDB) quando as primeiras concessões foram feitas.

Apesar das críticas pontuais, ele defendeu o modelo paulista de concessão de rodovias paulista. “Este modelo resultou nas melhores estradas do país aqui em São Paulo. O problema não é a quantidade de praças. Às vezes, vale até a pena abrir outra praça de pedágio para baratear o custo. Mas algumas têm problemas”, argumentou o tucano.

Aumento
A polêmica surgiu por conta do aumento do valor cobrado nos pedágios das rodovias estaduais, anunciado à meia noite da última quinta-feira (1º). O acréscimo no valor das tarifas gerou manifestção por parte da população da região.

Por causa de diferenças nos contratos, foram aplicados dois tipos de índices para os aumentos. Nas rodovias concedidas a partir de 2008, foi utilizado o IPCA (índice oficial de inflação), com reajuste de 5,2%, como é o caso da rodovia Ayrton Senna. Nas concessões mais antigas, como a da Imigrantes, adotou-se o IGP-M, de 4,18%.

Como justificativa, a Artesp alegou que, além dos investimentos nas rodovias, parte da arrecadação dos pedágios é destinada, com o recolhimento do ISS-QN, aos 242 municípios paulistas cortados pelas rodovias concedidas. Desde 2000, essas Prefeituras receberam repasse de R$ 1,4 bilhão, verba que pode ser destinada, por exemplo, à recuperação de estradas vicinais.

Francal
Alckmin esteve hoje na abertura da Francal, feira de calçados da cidade de Franca (SP).

No evento, Alckmin esteve acompanhado do prefeito de Franca, Sidnei Franco da Rocha (PSDB), e dos candidatos ao Senado em sua chapa, Orestes Quércia (PMDB) e Aloysio Nunes Ferreira (PSDB).

Alckmin foi surpreendido ao encontrar o candidato do PSB ao governo, Paulo Skaf, enquanto passeava pela feira. Os dois se cumprimentaram e trocaram elogios discretos. “Não tenho nenhum problema com o Skaf. E eu o conheço bem há trinta anos”, afirmou Alckmin.

    Leia tudo sobre: Geraldo AlckminPSDBpedágioSP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG