Candidato tucano acredita que vencerá no primeiro turno em São Paulo, mas diz que não irá 'sentar na cadeira antes da hora'

selo

Véspera de eleição, o candidato do PSDB ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje estar "confiante" em uma vitória no primeiro turno no Estado, mas afirmou que é o "povo que decide". "Vamos com humildade, pé no chão e com fé. Mas acho que a campanha foi extraordinária", observou.

Alckmin participou de um "cadeiraço" promovido pela candidata a deputado Mara Gabrilli (PSDB) no vão do Masp, na avenida Paulista, centro financeiro da capital. Estiveram presentes o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), e o candidato tucano ao Senado, Aloysio Nunes Ferreira.

Perguntado qual seria sua primeira medida, caso eleito, Alckmin esquivou-se. "Sentar na cadeira antes da hora não é um bom conselho", disse.

Sobre a disputa federal, o tucano afirmou que "indicadores" mostram um eventual segundo turno entre José Serra (PSDB) e Dilma Rousseff (PT). "O Serra vai chegar lá. Tem dois ansiosos na vida. Os políticos e os jornalistas", ironizou.

Senado

Há duas semanas, Alckmin havia declarado seu segundo voto na disputa pelo Senado em Romeu Tuma (PTB). Dessa vez, o tucano despistou. "Olha eu declaro voto aqui no Aloysio Nunes, nosso senador. Vamos lá, vamos em frente", disse, terminando a entrevista coletiva.

O tucano cumpre agenda de campanha ainda hoje em Diadema e Suzano, na Grande São Paulo. Alckmin termina o dia assistindo à peça "Ensina-me a Viver", no teatro da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.